Diário do Litoral de cara nova

O DL chegou às bancas totalmente reformulado nesta segunda-feira (12)

Comentar
Compartilhar
12 NOV 201210h15

Para celebrar os 14 anos, hoje, o Diário do Litoral chegou às bancas de cara nova. Totalmente reformulada, do logo ao rodapé, a nova diagramação é moderna para informar o leitor de forma mais dinâmica.

A reformulação gráfica e editorial abrange não só o formato de como as notícias serão apresentadas ao leitor, mas também o conteúdo. A partir de hoje, o jornal apresentará mais duas editorias: Emprego e Saúde.
 
A partir de agora, segundo a editora-chefe do Diário do Litoral, Tatyane Casemiro, o DL passa a ter uma linguagem mais dinâmica. “A única coisa em que pensamos quando resolvemos implementar as mudanças foi em como melhorar a informação que chega até o leitor. O jornal agora está menos poluído visualmente, o que faz com que o leitor consiga identificar de maneira rápida a matéria que procura nas páginas e editorias que necessita”, destaca.
 
Casemiro destacou a atitude corajosa de toda a diretoria em implementar tantas alterações gráficas no periódico. “A mudança é radical e por isso corajosa. Ela contempla, além de novas editorias - que trazem muito mais informações a nossos leitores -, uma grande alteração em nosso projeto gráfico que inclui, inclusive, a mudança no logo do jornal”.
 
O idealizador do novo projeto gráfico, Daniel Villaça, confidenciou a dificuldade de se colocar em prática um projeto gráfico tão arrojado, a exemplo do que foi desenvolvido para o DL. “Estive em diversas redações pelo País, em jornais de tamanhos bem similares ao nosso. Pesquisei tipos de letras, tamanhos de fontes e editorias. Para quantificar esta dificuldade, posso dizer que, por quase um ano, busquei informações para compor este novo padrão”.
 
Villaça se diz recompensado com o resultado final do trabalho. “Estou realizado com o novo projeto gráfico. Faço questão de agradecer a todos os que contribuíram para mais esta realização do DL. Trabalhamos juntos para que a nova aparência do jornal seja um sucesso”, finaliza Daniel.

Colunas

Contraponto