Devoção e fé na festa da Padroeira de Santos

Centenas de fiéis celebraram o dia de Nossa Senhora do Monte Serrat, cuja festa iniciou às 7 horas com missa solene na Catedral

Comentar
Compartilhar
08 SET 201417h27

Por meio de uma prece, um cântico, uma oração, ou mesmo no simples agitar de bandeirinhas, cada fiel, ao seu modo, estava em comunhão com Nossa Senhora do Monte Serrat, na manhã de hoje (8). Centenas de devotos renovaram sua fé durante as celebrações do Dia da Padroeira de Santos, cuja festa iniciou às 7 horas com missa solene na Catedral. Às 9h30, o bispo diocesano Dom Jacyr Francisco Braido ministrou missa campal em frente à Catedral.

Logo após o término da missa, por volta de 11h30, a multidão seguiu em procissão, acompanhando a peregrinação da imagem da Virgem Santíssima até o Paço Municipal de Santos onde foi celebrada a renovação da Consagração da Cidade à Nossa Senhora.

“Nós queremos marcar esse momento com muita alegria e fé. Uma saudação a todos e todas nesse momento em que estamos caminhando para o Monte Serrat, trazendo de volta a imagem de Nossa Senhora. Ela, como nos protegeu sempre e nos protege, que continue também a sua proteção e ajuda, Amém”, declarou o bispo diocesano ao Diário do Litoral após a consagração no Paço.

“É a renovação da fé do povo santista, da nossa padroeira, da nossa protetora. É muito emocionante vê essa devoção do nosso povo. Esse calor humano, com certeza, amplia a fé e consagra a nossa Cidade para os desafios que estão por vir”, declarou o prefeito Paulo Alexandre Barbosa. O prefeito estava acompanhado de sua mãe Maria Agnez Pereira Barbosa, e de sua esposa Vanessa Barbosa.

Do Paço Municipal, os fiéis seguiram em procissão que conduziu a imagem de Nossa Senhora até o Santuário do Monte Serrat. A maioria, como manda a tradição, subiu os degraus do monte, em mais uma profissão de fé, alguns pagando promessa pela graça alcançada, outros pedindo a intercessão de Nossa Senhora para tirar-lhes dos ombros mais uma aflição, e tantos outros apenas celebrando a festa.

Conforme a programação divulgada pela Diocese de Santos, às 16 horas, o bispo Dom Jacyr presidiu nova missa campal no Santuário de Nossa Senhora do Monte Serrat. Às 19 horas, foi celebrada a missa solene e logo em seguida deu-se o encerramento das festividades.

Fiéis sobem o monte acompanhando a imagem de Nossa Senhora (Foto: Matheus Tagé/DL)

Um dia sagrado para os devotos

Sob o manto azul de Nossa Senhora do Monte Serrat, devotos de todas as Nossas Senhoras misturaram-se à multidão durante a festa da padroeira de Santos. Afinal, todas elas são representações de Maria, a Santa Mãe de Deus. Para os fieis católicos da Região, 8 de setembro é um dia sagrado.
Luan Miguel, de 1 ano e nove meses, dormia no colo de sua mãe, vestido de anjo, com asas brancas que chamavam a atenção das pessoas. Algumas mulheres se aproximavam, pois sabiam que tratava-se de uma graça alcançada.

A mãe de Luan, a atendente de caixa Kelly Pereira, de 27 anos, percebeu que seu filho não enxergava direito logo em seus primeiros meses de vida. Ela contou que o diagnóstico foi “fundo de olho albino”. Aos seis meses de idade, Luan Miguel teria que ser submetido a uma cirurgia para corrigir a visão.

“Quando meu filho tinha quatro meses, o médico disse que ele teria que operar a vista aos seis meses. Aí, a minha mãe fez uma promessa pra Nossa Senhora. As pessoas não acreditam, mas eu sei que meu filho passou a enxergar de um dia para o outro e nem precisou de cirurgia. A cura do meu filho é obra de Nossa Senhora”, acredita piamente Kelly. “Hoje, o Luan enxerga perfeitamente”, afirmou.

“A minha mãe prometeu que Luan seria vestido de anjo durante sete anos no dia de Nossa Senhora, por isso, estamos aqui”, contou Kelly.

A mãe de Kelly, Maria de Lourdes Pereira, de 48 anos, disse como fez a promessa. “Eu fiz na rua mesmo, em pensamento, e Nossa Senhora atendeu a minha prece”, disse Maria de Lourdes sorrindo.

O nome tornaria o pintor de paredes Aparecido Rodrigues, de 63 anos, um fiel devoto de Nossa Senhora. “Meu nome é Aparecido, Sou devoto de Nossa Senhora Aparecida desde que me entendo por gente. Nossa Senhora sempre esteve no meu caminho. Eu tenho fé”, disse ele.

Aparecido é natural de Tupã, no interior paulista, cresceu na Capital, morou em outras cidades até mudar-se para Santos, em 1995. Na Cidade, tornou-se devoto de Nossa Senhora do Monte Serrat. Desde 2012, Aparecido mora em Praia Grande, mas veio a Santos celebrar o dia da padroeira. “Faltei no trabalho hoje, pois é um dia sagrado para mim. No dia de Nossa Senhora eu não trabalho para ninguém”, enfatizou Aparecido.

A costureira Cícera da Silva, de 65 anos, também crê que sua cura deve-se a uma graça de Nossa Senhora. “Há dois anos, eu tinha pedras nos rins, sentia muitas dores nas costas e nas pernas, fiz uma cirurgia para desobstruir o canal da urina e, na época, rezei para Nossa Senhora me curar, e ela me curou. Não sinto mais nada”, comentou Cícera. “Nossa Senhora é nossa mãe, nossa protetora, nossa rainha”, ressaltou.

“Nossa Senhora é paz, alegria e amor”, disse o carpinteiro José Ediniuson Silva, de 46 anos, que mora em Guarujá e participava da festa da Padroeira de Santos.

“Vim agradecer as coisas boas que vivemos, eu e minha família, e pedir a proteção de Nossa Senhora para a minha casa”, disse a promotora de vendas de cosméticos, Ana Moraes de Oliveira.

“Pedi à Nossa Senhora para deixar de fumar e deixei”, afirmou a dona de casa Amerina Lourenço da Silva, de 71 anos. “Eu sou devota de Nossa Senhora porque já recebi muitas graças”, disse.

Imagem peregrina foi conduzida em procissão pelo Exército até o Santuário do Monte Serrat (Foto: Matheus Tagé/DL)

Histórico

Santos homenageia sua Padroeira, Nossa Senhora do Monte Serrat, no dia 8 de setembro. Várias são as histórias que se contam da santa milagrosa. Foi D. Francisco de Souza, governador geral do Brasil quem, em 1602, ordenou construir a Capela do Monte Serrat e doou a imagem de Nossa Senhora à Ordem de São Bento, que passou a administrar o santuário.

O primeiro milagre a ela atribuído teria acontecido durante a invasão do pirata holandês Joris Van Spilbergen à costa santista, em fevereiro de 1615. Para fugir dos corsários, que incendiaram vários pontos da Vila de Santos, boa parte da população, especialmente mulheres e crianças, refugiou-se no Monte Serrat.

Desesperados, os habitantes rezaram à Virgem do Monte, para que os protegesse. Pouco tempo depois, o caminho por onde avançavam os piratas desmoronou, soterrando a maioria, enquanto os restantes voltaram apressadamente para os navios, a fim de deixar a barra.

Por meio de lei sancionada pelo então prefeito Antônio Feliciano, em 1954, Nossa Senhora do Monte Serrat foi escolhida como Padroeira de Santos, coroada em cerimônia realizada em 8 de setembro de 1955.