Desassoreamento retira mais 130t do canal 1 em três dias trabalho em Santos

O ponto considerado mais crítico é o conhecido ‘curvão’ do canal por reter mais facilmente o material justamente pela curva que dificulta o desague dos sedimentos

Comentar
Compartilhar
08 NOV 2018Por Da Reportagem22h20
Mais de 130 toneladas de lama já foram retiradas do canal da Av. Senador Pinheiro MachadoMais de 130 toneladas de lama já foram retiradas do canal da Av. Senador Pinheiro MachadoFoto: Divulgação/PMS

Mais de 130 toneladas de lama já foram retiradas do canal da Av. Senador Pinheiro Machado desde terça-feira (6), quando o serviço de desassoreamento foi iniciado pela Prefeitura na altura da Rua Joaquim Távora, com o auxílio de uma pá carregadeira de esteira. O trabalho da Operação Cuidando de Santos complementa a limpeza das galerias das redes de drenagem para melhorar a vazão das águas em direção ao mar e deve ser concluído em 30 dias até a Rua Carvalho de Mendonça.

Nesta quinta-feira (8), os funcionários da Prodesan trabalhavam próximo à Rua Joaquim Távora, com apoio de dois caminhões, supervisão de técnicos da Secretaria de Serviços Públicos e apoio da CET. “As saídas das tubulações desembocam nos canais e o acúmulo no canal 1 é ainda mais crítico pela largura maior das manilhas que favorecem o recebimento da lama trazida pela maré alta, pelas galerias e dos morros”, explica o coordenador de Serviços Públicos, Flávio Morgado.

O ponto considerado mais crítico é o conhecido ‘curvão’ do canal por reter mais facilmente o material justamente pela curva que dificulta o desague dos sedimentos. Com o trabalho finalizado, a profundidade aumentará em média 50cm e facilitará a vazão das águas. “Em alguns trechos, conseguimos aprofundar mais, mas o trabalho é realizado sempre uma vez por ano, com ênfase no ‘curvão’ que pode receber o serviço mais vezes se houver necessidade”, diz Morgado.

Programação

A operação de desassoreamento mecanizado acontece de segunda a sexta, independentemente das chuvas, das 8h às 16h. O último serviço aconteceu recentemente no canal da Av. Francisco Ferreira Canto, de onde foram retiradas cerca de 600 toneladas de sedimentos. O próximo está previsto para o canal 3, trecho entre as ruas Joaquim Távora e Almeida de Moraes.

Antes de desassorear cuidado com passeio é essencial

Dormentes são usados no meio-fio para auxiliar a subida da pá carregadeira no passeio, que necessita permanecer ao lado do canal para o braço alcançar os sedimentos.

Sob a máquina também é colocada uma esteira emborrachada feita com malha de ferro para garantir a sustentação, reduzir o impacto e não danificar a calçada e o jardim.

Para a eficiência do desassoreamento, a máquina é operacionalizada nos dois lados do canal em horários estratégicos para evitar prejuízos ao fluxo do tráfego de veículos.