Desafios da pandemia marcam os 475 anos de Santos

Os desafios para enfrentar o avanço da doença também foram destacados pelas autoridades durante os atos

Comentar
Compartilhar
26 JAN 2021Por Da Reportagem17h18
Em discurso, o prefeito relacionou a pandemia a outros momentos de grande desafio para o povo santistaFoto: Divulgação/PMS

Solenidades rápidas e com público restrito. Assim foram as celebrações oficiais nesta terça-feira (26) pelo 475º aniversário da fundação de Santos, com o objetivo de evitar aglomerações diante da pandemia da covid-19. Os desafios para enfrentar o avanço da doença também foram destacados pelas autoridades durante os atos.

No início da manhã, o prefeito Rogério Santos e a vice-prefeita Renata Bravo depositaram flores junto ao monumento em homenagem a Braz Cubas (fundador de Santos), na Praça da República (Centro). Na sequência, se dirigiram à Catedral de Santos, onde uma missa foi realizada sob os protocolos preventivos, como distanciamento, aferição de temperatura na entrada e uso de máscaras faciais.

A última solenidade ocorreu na Câmara Municipal com a participação dos vereadores. Com público limitado e distância entre os assentos disponíveis, a cerimônia teve um minuto de silêncio dedicado às mais de mil vítimas da covid-19 na Cidade.

União de esforços

Em discurso, o prefeito relacionou a pandemia a outros momentos de grande desafio para o povo santista. "Esse é um período de decisões difíceis, como foi a de criar a Santa Casa de Santos, primeiro hospital fora da Europa, quando aqui morriam índios e colonizadores". Para ele, o combate ao novo coronavírus exige resoluções responsáveis da parte do poder público e a união da população.

"Corajosos seremos se nos mantivermos unidos, não pelo discurso fácil, mas pelas medidas difíceis. Não adianta a pandemia chegar de maneira devastadora e depois as pessoas lamentarem. Temos que tomar iniciativas sérias já. Quem não quer a liberdade de ficar sem máscara e de estar de volta com os amigos? Mas, agora, essa liberdade tem que ser reconquistada", ressaltou Rogério Santos.