Desabrigados em Cubatão: Ministro libera recursos

Visita de Fernando Bezerra Coelho aos bairros atingidos na Cidade acabou em tumulto

Comentar
Compartilhar
10 MAR 201312h36

O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, anunciou na manhã de ontem, em Cubatão, dentre outras medidas, a liberação imediata de R$ 1 milhão para a recuperação da cidade e assistência às vítimas da tempestade do última dia 22 de fevereiro. Outros recursos, estimados em cerca de R$ 5 milhões, serão liberados no decorrer da próxima semana, e serão aplicados prioritariamente na reconstrução das vias públicas e equipamentos municipais como escolas e postos de saúde.

O ministro foi recebido pela prefeita Marcia Rosa e participou de reunião no gabinete do Executivo Municipal. Estiveram presentes também os deputados federais Marcio França (PSB/SP), Roberto de Lucena (PV/SP) e Vicente Candido (PT/SP), além de secretários municipais, vereadores e técnicos da defesa civil do município, estado e União. Em seguida, a comitiva visitou o Caminho dos Pilões, uma das regiões mais atingidas da cidade.

A verba de R$ 1 milhão será utilizada para o atendimento à população e normalização dos serviços públicos (compra de medicamentos, controle de pragas e vetores, desinfecção de habitações, fornecimento de refeições aos desabrigados, etc). Outra medida anunciada pelo ministro da Integração foi a liberação de auxílio-moradia de R$ 400,00 às famílias atingidas e que estão sendo cadastradas pela Prefeitura e Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU).

Prefeita e ministro visitaram bairros atingidos (Foto: Divulgação)

Bezerra Coelho informou ainda que moradias destruídas em decorrência da tempestade, com base em relatórios que serão encaminhados pelas Defesas Civis, poderão receber financiamento da Caixa para serem reconstruídas, com recursos do programa Minha Casa, Minha Vida – Desastres Naturais.

Tumulto

A visita do ministro e da prefeita não foi bem quista pelos moradores do local, que atualmente se abrigam em imóveis no Bolsão 9. Revoltados, os moradores xingaram e hostilizaram a prefeita Marcia Rosa, que precisou ser retirada às pressas do local.