Deputado usa carro da Alesp para vir a São Vicente

Márcio da Farmácia teria vindo a evento de Kayo Amado com carro oficial

Comentar
Compartilhar
30 AGO 2019Por Caroline Souza07h00
Deputado Márcio da Farmácia usou veiculo da Alesp para participar de pré-candidatura de AmadoFoto: Reprodução/Facebook

O advogado Marco Antônio da Silva ingressou com uma denúncia de improbidade administrativa no Ministério Público do Estado de São Paulo (MPE-SP) contra o servidor público Kayo Amado e o deputado estadual Márcio Paschoal Giudicio, o Márcio da Farmácia - líder do Podemos na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

Segundo o denunciante, no lançamento da pré-candidatura de Kayo Amado a prefeito de São Vicente, ocorrida na última sexta-feira (23) no Ilha Porchat Clube, Márcio da Farmácia teria se deslocado ao encontro político-partidário usando automóvel oficial da Alesp - somente disponibilizado para uso exclusivamente oficial (atividades parlamentares).

FILMAGENS.

As provas seriam filmagens que chegaram às mãos do advogado que também acredita que Amado tem que ser responsabilizado por ser beneficiário direto do ato cometido pelo deputado, que também pode ter usado um servidor público para chegar ao Ilha Porchat, no caso, um motorista da Assembleia.

Conforme Marco da Silva, o deputado teria deixado de pagar pedágio, gasolina e contratado motorista, "obtendo vantagem econômica em prejuízo do erário estadual, violando princípios da igualdade, da eficiência e da economicidade", informa ao MP.

O advogado ainda descobriu, após pesquisa realizada no site da Alesp, que o veículo usado estaria sob responsabilidade de outro deputado - Itamar Borges (MDB). Ontem, a assessoria do deputado informou que houve um equívoco no site e que o carro usado seria mesmo de responsabilidade do deputado Márcio da Farmácia, que foi procurado e não se manifestou sobre a questão.

O advogado pede ao MP a instauração de inquérito civil para apuração dos fatos; que intime os dois deputados - Márcio da Farmácia e Itamar Borges (uso e cessão do veículo) - e Kayo Amado para prestar informações sobre os fatos, bem como o morador da Vila Margarida que teria cedido as filmagens, além de pedir ajuizamento de ação civil pública.

ESPIÕES E LAGARTIXAS.

Procurado, o pré-candidato a prefeito de São Vicente Kayo Amado lamentou a denúncia. "É claro que quem está no poder ia tentar me atacar por todos os meios ". Ele revela que durante a noite do evento no Ilha Porchat, identificou vários funcionários de cargos comissionados trabalhando como verdadeiros espiões. "O autor da peça, que é ex-secretário de Saúde do Pedro Gouvêa e advogado do Marcio França, tenta me associar, de forma maldosa, ao transporte de um deputado. Ficaram plantados a noite toda como lagartixas nas paredes do Ilha Porchat, não encontraram nada que eu tenha feito de errado", revela.

Sobre o meio de transporte que cada participante utilizou para chegar ao evento de São Vicente na sexta, ele revela que foi a pé. "Se alguém foi de carro oficial, deixou de pagar o UBER ou estacionou em local proibido, deve ter condições de explicar o ocorrido. Querer me responsabilizar por uma conduta que sequer poderia ser autor ou beneficiário, é leviano e irresponsável. Não cometi ou sequer passei perto de cometer, qualquer irregularidade", finaliza.

 

Colunas

Contraponto