Defesa Civil de Angra dos Reis permanece em estado de alerta devido às chuvas

O maior índice pluviométrico ocorreu de sábado para domingo, disse hoje (10) o secretário municipal de Defesa Civil, Marco Oliveira

Comentar
Compartilhar
10 MAR 201516h42

A Secretaria de Defesa Civil de Angra dos Reis permanece em estado de alerta, após as chuvas do último final de semana que provocaram a queda de duas casas construídas de forma irregular na beira de encostas, naquele município da Costa Verde fluminense. Não houve vítimas.

O maior índice pluviométrico ocorreu de sábado para domingo, disse hoje (10) o secretário municipal de Defesa Civil, Marco Oliveira. “O deslizamento foi relacionado à falha construtiva e à falta de um acompanhamento técnico na edificação. As pessoas, geralmente, constroem de forma desordenada, irregular, e ocasionou isso”.

Uma das casas, segundo o secretário, foi erguida em cima de galeria pluvial. “Com a chuva, a encosta desceu e levou parte da residência. A casa foi interditada e os moradores se abrigaram com parentes ou amigos. A Secretaria de Ação Social e Direitos Humanos está prestando o apoio necessário às pessoas”.

Embora não esteja chovendo no momento em Angra dos Reis, mas com base no acumulado das chuvas, Marco Oliveira avaliou que ainda há risco de novos deslizamentos. Por isso, a Defesa Civil continua monitorando as encostas e os pluviômetros. A previsão é de novas chuvas no município, nos próximos dias. “Esperamos que essa chuva não venha com intensidade, porque pode agravar mais essas encostas que estão saturadas”.

Segundo Marco Oliveira, o sistema de alerta e alarme funciona via SMS aos moradores, que contam também com um sistema de sirenes instaladas nas áreas mais críticas. Por meio do pluviômetro eletrônico, a secretaria é informada em tempo real sobre a quantidade de chuva que cai em lugares determinados.

De acordo com informação da assessoria de imprensa da prefeitura de Angra dos Reis, o bairro que registrou o mais alto índice de chuvas (110 milímetros em 24 horas) foi o Serra D’água, na divisa com a cidade de Rio Claro. Na região, houve registro também de dois deslizamentos na rodovia RJ-155, mas o trânsito não chegou a ser interrompido.

O secretário renovou o pedido para que os moradores procurem a orientação da Prefeitura de Angra dos Reis ou da Defesa Civil, antes de iniciar qualquer construção, porque isso pode evitar danos ao patrimônio e salvar vidas.