Curso de Padaria Artesanal une população e residentes do Creres em SV

Formatura e entrega de certificados aconteceu nesta quarta-feira (3)

Comentar
Compartilhar
04 OUT 2018Por Da Reportagem09h40
O curso tem como objetivo incentivar a economia criativaO curso tem como objetivo incentivar a economia criativaFoto: Divulgação/PMSV

Mais uma turma se formou no curso de Padaria Artesanal em São Vicente. O Fundo Social de Solidariedade da Cidade (FSS) entregou certificados a dez alunos nesta quarta-feira (3) no Centro de Reabilitação e Reinserção Social (Rua Milton Pinto, 413 – Parque das Bandeiras), onde população e internos participam da formação. O curso tem como objetivo incentivar a economia criativa.

Realizado pelo Fundo Social de Solidariedade, o curso tem duração de oito horas e os alunos aprendem dez receitas diferentes de pães e biscoitos.  Realizado na cozinha industrial do Centro de Reabilitação e Reinserção Social (Creres), o curso possibilita a integração de cinco internos da instituição e cinco munícipes, que aprendem juntos uma nova forma de ganhar dinheiro em tempos de crise.

“Com o curso as pessoas têm a chance de conseguirem uma qualificação profissional e geração de renda. Além disso, é importante esse convívio dos participantes do Creres com a população, trocando experiência e dando oportunidade a todos. Já estamos na quarta turma e este é só o começo”, comemora Andrea Gouvêa, presidente do Fundo Social de Solidariedade.

 Residente na casa de reabilitação há cinco meses, Iago Luiz dos Santos Monteiro, de 21 anos, participou do segundo curso de formação profissional. “Graças à casa, este é o segundo curso que eu faço. Eu me formei em Auxiliar Administrativo e agora em Padaria Artesanal. A experiência é muito boa e pretendo levar pra vida o que estou aprendendo aqui”, afirma.

O paciente conheceu o programa após a indicação de um amigo. “Eu estava nas ruas e um amigo me trouxe aqui, falando que eu precisava de ajuda para sair da situação em que me encontrava. Agradeço a Deus pela oportunidade que estou tendo hoje”, relata Iago.

 O também formando Ronaldo Anastácio de Oliveira, de 42 anos, conta a experiência de passar pelo Creres e sobre a formação profissional.  “Aqui me dão todo o apoio possível, sempre me incentivando a permanecer e continuar no tratamento. O curso foi uma grande oportunidade e eu pretendo me aprimorar na área”.