Curso de manutenção de aeronaves é liberado em Guarujá

A deputada federal Rosana Valle (PSB) recebeu homologação. O Centro Paula Souza apto agora a reabrir curso, que envolvia mais de 100 estudantes

Comentar
Compartilhar
09 OUT 2019Por Carlos Ratton18h37
A Anac decidiu homologar o Curso Técnico de Mecânica e Manutenção de Aeronaves, da ETECFoto: Nair Bueno/DL

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) decidiu hoje (9) homologar o Curso Técnico de Mecânica e Manutenção de Aeronaves, da Escola Técnica (ETEC) Alberto Santos Dumont, de Guarujá, interrompido em abril deste ano. A deputada federal Rosana Valle (PSB) recebeu homologação. O Centro Paula Souza apto agora a reabrir curso, que envolvia mais de 100 estudantes.  

A Anac retomou o processo e realizou uma vistoria na última sexta-feira (4). O curso poderá receber até novos alunos. “Nossa região merece a retomada do curso. Agradeço a Anac, ao Centro Paula Souza, aos ex-alunos e alunos, que muito nos incentivaram nesta luta, e ao governador João Dória, que se comprometeu fazer as adaptações necessárias no prédio. Me sinto honrada por encampar este pleito que beneficia nossa região”.

Leia também:
ETEC Santos Dumont é vistoriada para retomada do curso de aeronaves
Doria vai preparar Etec para reabrir Curso de Manutenção de Aeronaves

O curso formou profissionais que trabalham hoje em todo o Brasil, que se formaram quando as aulas eram ainda na Base Aérea de Santos, localizada em Guarujá. A manutenção das aulas traz a possibilidade de novos empregos para jovens da nossa região. Conforme já revelado, o governador João Dória, que recebeu a deputada, confirmou que fará as adaptações necessárias no prédio.

Em paralelo aos esforços da deputada, os vereadores Edilson Dias (PT), Pastor Sargento Marcos e Andressa Sales (PSB) estiveram em São Paulo (Capital), no Centro Paula Souza - órgão responsável pela gestão das faculdades de Tecnologia (Fatecs) e escolas Técnicas (ETECs) no Estado de São Paulo – buscando a retomada do curso.

Os parlamentares foram recebidos pela diretora-superintendente, Laura Laganá, e por técnicos do órgão. Durante o encontro, os parlamentares haviam pedido detalhes sobre quais medidas estavam sendo adotadas pelo Centro a fim de garantir a retomada do curso e, sobretudo, um prazo para o reinício das atividades.

A superintendente explicou que a ANAC passou a exigir, a partir deste ano, uma série de ajustes, de planejamento e de documentações, para homologar as atividades - o que é fundamental para certificação dos alunos. No entanto, todas as medidas necessárias, segundo ela, já estavam sendo adotadas, dentro de um processo que envolvia cinco etapas.