Cuidado com o que você come neste Verão

Feriado prolongado de Carnaval, muitas horas na rua ou na praia

Comentar
Compartilhar
03 FEV 201317h11

Durante esses passeios, no momento em que bate a fome, aquele lanchinho rápido torna-se uma tentação. Mas, a última coisa em que se pensa é que aquela coxinha de frango, aquele pastel de palmito ou aquele espetinho de camarão, se não forem preparados com toda a higiene e cuidado, poderão provocar uma intoxicação alimentar.

Devido a grande concentração de pessoas no período de Carnaval cresce também o número de ambulantes clandestinos que aproveitam a oportunidade para faturar uma renda extra, mas o forte calor e a armazenagem inadequada de alimentos vendidos, principalmente no comércio ambulante clandestino, podem gerar riscos à saúde. Por isso, é preciso ter muito cuidado com o que você come.

O chefe de atividade técnica da Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde de Santos, o médico nutrólogo Valter Makoto, recomenda evitar o consumo, na praia, de camarões e refrescos vendidos nos carrinhos como os mates. Ele explica que no caso dos frutos do mar, a pessoa pode ser contaminada por bactérias que causam intoxicações que podem ser leves ou até levar a óbito. Já em relação aos sucos, não se sabe de onde foi captada a água, se é filtrada ou não.

Makoto orienta que os consumidores devem optar por comprar alimentos de ambulantes que tenham a licença da Prefeitura. “A Prefeitura, por meio de departamento próprio já realiza pré-fiscalização dos ambulantes, e os que são legalizados têm curso de manipulação de alimentos, obrigatório por lei, em Santos”.

O médico recomenda ainda não comprar alimentos que são armazenados em isopores, muito encontrados na praia, devido às condições de conservação desses produtos.

Um alimento bastante consumido é o pastel. Por isso, é preciso observar as condições de higiene do pasteleiro, observar suas unhas, suas roupas. As gavetas dos carrinhos, onde são guardados os pastéis, devem ter uma temperatura baixa e fresca. “Caso o pastel de carne ou palmito esteja com gosto azedo, jogue fora imediatamente”, orienta Makoto.

O óleo da fritura de pastéis e salgadinhos tem que estar claro. “O óleo queimado, escuro, pode se reverter para trans, fazendo mal à saúde”. Denúncias podem ser feitas a Ouvidoria Pública de Santos por meio do telefone 0800-112056.

Intoxicação

A intoxicação alimentar pode provocar náuseas, vômitos, alergias, manifestações gastrointestinais como cólicas e diarreias. Nos casos mais graves pode levar a internação e até a morte, segundo alerta Makoto.

Fiscalização

O Departamento de Fiscalização de Mercados e Comércio Viário (Defisco) vai intensificar a fiscalização do comércio ambulante durante o período de Carnaval. O objetivo será o de coibir o comércio irregular e garantir a segurança de munícipes e turistas, especialmente, com relação ao consumo de alimentos. Para isso, o grupo de fiscais atuará em toda a orla da praia, nas cinco tendas e na Passarela do Samba Dráusio da Cruz, na Zona Noroeste, durante o desfile das escolas de samba.

O número de ambulantes licenciados é de 1.056, sendo que desses 308 atuam na faixa de areia da orla e todos possuem o certificado do curso de manipulação de alimentos, promovido pelo Sindicato dos Ambulantes de Santos.