Cubatão reduz índices de mortalidade infantil pelo segundo ano consecutivo

Os números de Cubatão apresentam uma tendência oposta à média nacional, que em 2016 atingiu 14 óbitos a cada mil nascimentos

Comentar
Compartilhar
16 JUL 2018Por Da Reportagem20h00
A mortalidade infantil em Cubatão caiu pelo segundo ano consecutivoA mortalidade infantil em Cubatão caiu pelo segundo ano consecutivoFoto: Reprodução

A mortalidade infantil em Cubatão caiu pelo segundo ano consecutivo e atingiu o índice de 13,58 óbitos no primeiro ano de vida para cada mil nascidos vivos em 2017, conforme informações da Secretaria de Saúde do Município. No ano anterior, 2016, o coeficiente estava em 14,91, quando já havia ocorrido uma melhora em relação a 2015, com um coeficiente de 18,17.

Os números de Cubatão apresentam uma tendência oposta à média nacional, que em 2016 atingiu 14 óbitos a cada mil nascimentos, de acordo com informações do Ministério da Saúde publicadas pelo jornal Folha de S. Paulo, que apontaram uma tendência de novo aumento em 2017.

A secretária de Saúde de Cubatão, Andrea Pinheiro Lima, destaca o trabalho da atenção básica à saúde como determinante para o resultado: "Houve uma ampliação da vigilância infantil e materna por grupo técnico que monitora gestantes, puérperas (mães recentes) e crianças menores de um ano".

A Secretaria tem promovido uma série de iniciativas em qualificação de equipes, como treinamento e palestras para ginecologistas, generalistas, pediatras e enfermeiros de Unidades Básicas de Saúde e do Programa de Saúde da Família (PSF), agentes comunitários de Saúde e gestores, tanto no Hospital Municipal como nas unidades básicas e nos ambulatórios de especialidades infantil e de Saúde da Mulher, com atualização dos protocolos de atenção à saúde da mulher, gestante e criança, além da contratação de ginecologistas para apoio ao PSF.

Cubatão também passou a fazer parte da Rede Cegonha, com desenvolvimento e reorganização dos serviços com implementação da rede de cuidados para assegurar às mulheres o direito ao planejamento reprodutivo e a atenção humanizada à gravidez.