Cubatão estuda integração de ciclovias

Segundo o secretário de Planejamento, Adalberto Ferreira da Silva, O Plano Cicloviário Municipal, ainda em fase de estudos, tem como prioridade integrar todas as ciclovias da Cidade

Comentar
Compartilhar
17 JAN 201309h14

Pelo menos metade da população de Cubatão tem bicicleta, o que pode representar o principal meio de transporte de boa parte dos habitantes. Hoje, o Município possui 10,4 quilômetros de faixa cicloviária, mas a Prefeitura estuda um plano de integração e remodelação dessas ciclovias.

Segundo o secretário de Planejamento da Prefeitura de Cubatão, Adalberto Ferreira da Silva, a maioria dos habitantes é de baixa renda e pelo menos 50% têm bicicleta.

Hoje o Município tem 10,4 quilômetros de faixa cicloviária, em regiões diferentes da Cidade, que estão contemplados no Plano Cicloviário Municipal, cuja prioridade é fazer a rede integrada de ciclovias.

A ciclofaixa da Vila Esperança, que tem 2.190 metros (2,1 km) será remodelada, de acordo com o secretário. A via será segregada da faixa de rolamento dos veículos, de modo a oferecer mais segurança aos ciclistas e disciplina no trânsito.

Segundo o secretário, a ciclovia da Avenida 9 de Abril, principal acesso ao Centro de Cubatão, tem 2.050 metros (2km) e também será recomposta. As outras ciclovias também receberão melhorias. São elas: localizada próximo à Henry Borden (870 metros), outra no trecho ligando Casqueiro à Ilha Caraguatá (1,08 km) e a maior de todas, a ciclovia que começa na Avenida Miguel Couto até a Avenida Tancredo Neves, passando pelo Oleoduto e Vila São José, com 4,2 km.

Mas, o secretário de Planejamento explica que o Plano Municipal Cicloviário ainda está na fase de estudos e só depois de concluídos, é que será feito levantamento orçamentário e estabelecido um cronograma para a execução das obras. 

Silva afirmou ainda que o Plano Cicloviário contemplará não somente as pistas para o acesso de ciclistas, mas pontos de estacionamento (bicicletários) e tramos de iluminação.

Silva afirmou que o Município vai priorizar a integração entre as ciclovias já existentes e que deverá investir recursos oriundos da Agência Metropolitana da Baixada Santista (AGEM), nas obras de recuperação da ciclovia da Henry Borden.

Vagas no VLT

O secretário disse ainda que um projeto que poderá ser estudado é a criação de vagões no Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) com vagas para as bicicletas de quem se locomove de Cubatão para outras cidades da Região.

Porém, o trecho do VLT que contemplará Cubatão não está previsto na primeira fase de implantação do veículo metropolitano do Sistema Integrado de Transportes (SIM) que consiste no trajeto Área Continental de São Vicente (Ponte dos Barreiros) ao Centro Histórico de Santos.

Conjuntos habitacionais

Segundo o secretário, os acessos cicloviários estão contemplados em todos os empreendimentos de conjuntos habitacionais que estão sendo erguidos na Cidade.

Semana Municipal do Ciclista

A mobilidade por meio da bicicleta em Cubatão será tema de mesa redonda, que acontecerá na próxima sexta-feira (26), às 10 horas, no Bloco Cultural do Paço Municipal (Praça dos Emancipadores, s/nº). O encontro, que acontecerá na Semana Municipal do Ciclista de Cubatão, é uma iniciativa da Associação Brasileira de Ciclistas (ABC) que convidou autoridades e especialistas para discutir o tema.

Entre os convidados a prefeita de Cubatão, Márcia Rosa de Mendonça Silva; o superintendente da Companhia Municipal de Trânsito de Cubatão (CMT), Silvano da Silva Lacerda; o diretor da CET-Santos e membro do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), coronel Oscar Pereira da Silva; o arquiteto e idealizador das ciclovias de Santos, Carlos Prates; e o ciclista profissional de disputa de Ram Internacional, José Clarindo. O evento é aberto ao público.

Segundo o presidente da ABC, Jessé Teixeira Félix, Cubatão é uma cidade com características diferentes, que favorecem o uso da bicicleta. Jessé explica que a Cidade é plana e os bairros são muito próximos, por isso, a maioria dos usuários não é necessariamente de trabalhadores que usam a bicicleta como principal meio de transporte para o trabalho, mas moradores que se deslocam de um bairro ao outro.

Diferente da estimativa da Administração Municipal, Jessé acredita que a bicicleta é usada por 90% da população. Jessé afirmou que o principal item da pauta da mesa redonda será a integração das ciclovias do Município.

O presidente da ABC falará ainda sobre a necessidade de uma ciclovia integrada entre Santos a Cubatão, ligando desde a entrada de Santos (Posto Marilu) à Vila dos Pescadores e Vila São José. “Falta um trabalho conjunto (entre os municípios). Hoje os ciclistas andam pela pista junto com ônibus, carreta”, afirmou Jessé.

Jessé também mencionou a necessidade de ciclovia que atenda os trabalhadores das indústrias e outra na Vila Natal, que segundo ele, é um dos bairros que mais concentra usuários de bicicletas. “Cubatão poderá ser uma cidade sustentável”, afirma Jessé considerando o grande número de pessoas que usam a bicicleta como meio de transporte e os investimentos em ciclovias.