Cubatão entra em estado de alerta contra a dengue

Ilha Caraguatá concentra o maior número de casos. Cidade registrou 52 casos de dengue até a última quarta-feira (22)

Comentar
Compartilhar
23 ABR 201519h20

Cubatão entrou em estado de alerta contra a dengue ao confirmar o registro de 52 casos no período de 1º de janeiro até a última quarta-feira (22). Para reduzir o risco de epidemia – que será declarada caso ultrapasse 187 casos - a Secretaria de Saúde está intensificando e diversificando as ações voltadas à conscientização da comunidade.

“O mutirão reduz momentaneamente o número de criadouros, mas não trabalha a orientação das pessoas”, afirmou a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental à Saúde, Maria Adelaide Gonzalez, ao destacar a importância de se adotar estratégias que convençam as famílias a adotarem uma postura rígida e permanente de combate à proliferação do Aedes aegypti. “O Poder Público sozinho não consegue resolver esse problema. É preciso que cada um se responsabilize por sua residência, fazendo a sua parte”.

Nesse sentido, Maria Adelaide convidou líderes religiosos e comunitários, diretores de escola e representantes de programas sociais a participarem de reunião na tarde desta quinta-feira (23) para traçar novas ações contra a dengue. “Precisamos do apoio dessas lideranças. Aos domingos, os agentes comparecem às missas e cultos para conversar com a população. Temos de ir além dos mutirões”.

A reunião desta tarde foi promovida na Sociedade de Melhoramentos da Ilha Caraguatá, bairro que concentra 38,5% do número de casos: 20. A Prefeitura também está promovendo duas caminhadas de mobilização contra a dengue. A primeira ocorreu nesta manhã e a próxima será amanhã (24), às 10 horas, reunindo alunos da UME Amapá, o grupo da terceira idade e os agentes dos programas de Vigilância Ambiental em Saúde e de Saúde da Família que atuam no núcleo. O percurso terá início na Rua José de Castro, passando pelas ruas Iracema Oliveira Cajé e Nicolau Cuqui.

“Queremos sensibilizar os moradores para que redobrem os cuidados necessários para evitar a proliferação do mosquito transmissor”, disse a assistente de Educação da Vigilância à Saúde, Roseli Verônica de Souza. Outra ação programada é o monitoramento das garagens náuticas localizadas na Ilha Caraguatá.

Cubatão entrou em estado de alerta contra a dengue (Foto: Divulgação/PMI)

Casos

Este ano, Cubatão registrou 52 casos de dengue até a última quarta-feira (22). Os bairros com os maiores índices são Jardim Caraguatá (20 casos), Vila Esperança (5) e Jardim Costa e Silva (4).

Nas últimas semanas, a combinação de calor com pancadas de chuva tornou o clima ainda mais favorável à proliferação das larvas do Aedes aegypti, transmissor da dengue e da febre chikungunya.

Febre alta, acima de 38 graus, fraqueza e dores no corpo e nas juntas são alguns dos sintomas que indicam possível contágio pela dengue. No caso de também ocorrer sangramentos e suor intenso, pode ser a forma hemorrágica.

Atualmente Cubatão conta com 11 Unidades de Saúde da Família e 7 Unidades Básicas de Saúde. Para atendimento de urgência e emergência, tem uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e dois prontos-socorros, Central e Infantil, todos com profissionais e equipamentos necessários para o atendimento a casos de dengue e da febre chikungunya.