Cubatão declara nível de alerta em decorrência das fortes chuvas

A Defesa Civil da cidade aumentou o contingente de técnicos, atendeu ocorrências e tomou providências nas áreas de risco.

Comentar
Compartilhar
17 DEZ 201212h38

Em razão das fortes chuvas do sábado (15) a Comissão Municipal de Defesa Civil de Cubatão (Comdec) aumentou o contingente de técnicos,  atendeu ocorrências e tomou medidas de prevenção nas áreas de risco nos Bairros Cotas e outros locais. As vistorias de campo e critérios geotécnicos nortearam a mudança, de nível de observação, para nível de alerta, nas Cotas, a partir das 15 horas, de domingo, 16. Na região de Cubatão (Posto Portão 40), e nos Bairros Cota (Posto na Cota 400), os acumulados de pluviosidade de 24 horas foram respectivamente de: 62.2 mm e de 99.6 mm. A média de dezembro é de 232.8 mm. As informações são do Relatório Técnico Informativo 27, de domingo (16), da Comdec.

Às 18h05, na Cota 200, na Avenida Principal, ocorreu no deslizamento de  terra que atingiu paredes de uma moradia, sem causar vítimas. A Comdec tomou providências, inclusive no sentido de impermeabilizar o terreno, e a moradora deixou a residência para abrigar-se em casa de parentes. Na Cota 95, houve uma ocorrência às 2h20, na Rua João Paulo II. Na ocasião, material terroso acomodou-se próximo à parede da cozinha da casa e à escadaria de acesso. Mais tarde, às 19h20, ocorreu mais um “pequeno” deslocamento de terra liquefeita, o que prejudicou as condições de salubridade do local. 

 A Comdec recomendou à família que se abrigasse em casa de parentes e que lá permanecesse. Informou estes moradores que a Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano (CDHU) já havia sido comunicada em junho no sentido do atendimento, com vistas à inclusão no Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar. O encaminhamento fez parte do Relatório Técnico de Inspeção de Riscos Nº 0305/2012.

Ainda conforme o Relatório Técnico Informativo 27, os rios Mogi, Perequê e Cubatão apresentam volume acima do normal, forte vazão e água com coloração barrenta e com presença de material sólido. Ainda segundo o documento, estão de sobreaviso todos os grupos setoriais, envolvidos pelo Plano Municipal de Defesa Civil.

No Morro do Índio, assentamento precário,no interior da Vila Esperança, às 2h50, deu-se um deslizamento de terra, vegetação e blocos rochosos que se acomodaram em parede de moradia no Caminho São Leopoldo, sem causar danos à edificação. Contudo, mesmo assim, os moradores foram orientados a procurarem abrigo em casa de parentes.

Houve ainda pontos de alagamento nos seguintes locais: Avenida Tancredo Neves na altura da Vila São José e neste bairro na Rua Terezinha; na Avenida Giusfredo Santini; no Jardim Caraguatá e nas ruas e vielas da Vila Noé.

Rodovia

Referindo-se ao km 52, da Pista Sul da segunda passarela da Cota 95, diz relatório: “Devido ao grande volume de águas pluviais oriundas de drenagens e do leito carrocável da via, houve infiltração na base de uma das colunas de concreto de apoio da passarela com abertura de uma cava e exposição parcial de parte da sapata. Acionada a Concessionária ECOVIAS para atendimento, haja vista ser a responsável do complexo SAI”. 

Árvores

Segundo a Comdec, houve ainda queda de árvores na manhã desta segunda-feira, 17. As ocorrências tiveram lugar na Fabril, na Vila Natal no final da Vila Esperança e defronte do prédio administrativo da Refinaria Presidente Bernardes, na Avenida Nove de Abril. A fachada do posto de atendimento da Unimed em Cubatão, na Av 9 de Abril, 1780, também sofreu avarias.