Crianças de escolas municipais recebem tratamento bucal

Após o atendimento dentário dentro da sala de aula, os alunos que receberam o encaminhamento já estão sendo atendidos

Comentar
Compartilhar
25 AGO 201415h10

A Secretaria Municipal de Saúde está fazendo um trabalho de prevenção e manutenção da saúde bucal das crianças das escolas municipais e estaduais de Ensino Fundamental I. Dentistas visitam as salas de aula, realizando exames, e entregando um encaminhamento aos alunos que necessitam de tratamento dentário.

Os alunos que moram no Distrito são encaminhadas para a Unidade de Especialidades de Vicente de Carvalho (Unidade Mista). A unidade já realizou 18 tratamentos por meio das visitas escolares. O encaminhamento dá prioridade ao tratamento da criança, agilizando o agendamento.

A administradora Patrícia Braga Cruz Costa menciona que leva a filha à Unidade Mista desde os três anos. “Agora ela tem sete. E hoje tratou das cáries”, explica. Patrícia conta que a filha recebeu o encaminhamento na Escola Municipal Professora Myriam Terezinha Wichrowski Millbourn, onde estuda. E opina sobre a inciativa: “Gostei sim. Foi bem atendida pela doutora Andréa, que é super atenciosa. Fizeram a distribuição dos kits e ensinaram como fazer a escovação correta”, descreve. Patrícia lembra que a filha até postou no facebook sobre o que aprendeu com a visita.

Já a cabeleireira Danielle Rodrigues, mãe do Luís Diogo, de sete anos, que estuda na Escola Municipal Vereador Afonso Nunes, conta que fez o agendamento na sexta-feira (22) e conseguiu o atendimento do filho nesta segunda-feira (25). “É bem mais rápido e o atendimento é ótimo”, assegura Danielle. Ela diz que chegou a levar o filho a um dentista particular para fazer uma consulta “mas daí, na mesma semana, a escola já deu o encaminhamento, então eu achei melhor vir aqui”, relata.

A dentista da Unidade, Ana Cristina da Roz Sampaio, avalia que o atendimento mais rápido para as crianças “é muito importante, pois a boca saudável faz parte da saúde emocional também”, justifica. Ela conta que a dor de dente aflige mais durante a noite, prejudicando o sono, o que impede a criança de ir à escola.

O bullying também é outro motivo relevante: “Ás vezes não quer ir para escola porque o amiguinho vai tirar sarro”, frisa. A dentista diz que as crianças que ganham a proposta de tratamento muitas vezes têm um alto índice de cáries, então precisam da prioridade de não pegar fila”, comunica.