CPI deve ouvir presos da Lava Jato na primeira quinzena de maio

O parlamentar e integrantes da CPI estiveram reunidos na manhã desta sexta-feira, em Curitiba (PR), com o juiz Sérgio Fernando Moro, responsável pelas investigações da Lava Jato

Comentar
Compartilhar
24 ABR 201515h42

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras deve ouvir os presos da Operação Lava Jato ainda na primeira quinzena de maio. A informação foi confirmada hoje (24) pelo vice-presidente da comissão, deputado Antonio Imbassahy (PSDB-BA).

O parlamentar e integrantes da CPI estiveram reunidos na manhã desta sexta-feira, em Curitiba (PR), com o juiz Sérgio Fernando Moro, responsável pelas investigações da Lava Jato.

“Ele [Sérgio Moro] nos apresentou o calendário de trabalho Não podemos marcar depoimentos à CPI nas mesmas datas. Na próxima semana, vamos definir o cronograma com o presidente da comissão”, explicou o deputado.

Segundo ele, Moro ouvirá alguns presos a partir da próxima semana e até o dia 11 de maio. Por isso, ele pediu que os parlamentares não marcassem os mesmos depoimentos em datas agendadas por ele.

Imbassahy acredita que os depoimentos com os presos podem começar a partir do dia 4 de maio, mas destacou que tudo será negociado na comissão. Integrantes da CPI já haviam concordado que ouviriam 19 pessoas envolvidas nas investigações em apenas uma visita ao Paraná, entre elas o doleiro Alberto Youssef e o empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano.

Para Imbassahy, isso deve manter a comissão fora de Brasília por quase uma semana de trabalho.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras deve ouvir os presos da Operação Lava Jato ainda na primeira quinzena de maio. A informação foi confirmada hoje (24) pelo vice-presidente da comissão, deputado Antonio Imbassahy (PSDB-BA).

O parlamentar e integrantes da CPI estiveram reunidos na manhã desta sexta-feira, em Curitiba (PR), com o juiz Sérgio Fernando Moro, responsável pelas investigações da Lava Jato.

“Ele [Sérgio Moro] nos apresentou o calendário de trabalho Não podemos marcar depoimentos à CPI nas mesmas datas. Na próxima semana, vamos definir o cronograma com o presidente da comissão”, explicou o deputado.

Segundo ele, Moro ouvirá alguns presos a partir da próxima semana e até o dia 11 de maio. Por isso, ele pediu que os parlamentares não marcassem os mesmos depoimentos em datas agendadas por ele.

Imbassahy acredita que os depoimentos com os presos podem começar a partir do dia 4 de maio, mas destacou que tudo será negociado na comissão. Integrantes da CPI já haviam concordado que ouviriam 19 pessoas envolvidas nas investigações em apenas uma visita ao Paraná, entre elas o doleiro Alberto Youssef e o empresário Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano.

Para Imbassahy, isso deve manter a comissão fora de Brasília por quase uma semana de trabalho.