Covid-19: Associação quer mais testes aos guardas municipais

A região possui 1.451 guardas e alguns estão afastados por suspeitas e outros já estão confirmados com Covid-19, segundo revela o GCM Rodrigo Coutinho dos Santos

Comentar
Compartilhar
29 MAI 2020Por Carlos Ratton07h15
Em todos os municípios, os guardas têm contato diário com a população e correm risco diário de contrair coronavírusFoto: Nair Bueno/DL

Os guardas municipais de oito municípios da Baixada Santista - Cubatão não possui a corporação ainda - precisam fazer testes regulares para detectar COVID-19. A informação é da recém-criada Associação dos Guardas Municipais da Baixada Santista (AGCM). A região possui 1.451 guardas. "Alguns estão afastados por suspeitas e outros já estão confirmados com Covid-19", revela o GCM Rodrigo Coutinho dos Santos, presidente da Associação, que alerta que algumas prefeituras estão negligenciando a testagem.

Segundo Coutinho, o que preocupa é que toda a corporação deve realizar os testes estando ou não com sintomas para inibir um possível agravamento do problema e uma infecção em massa, pois os guardas trabalham em dupla ou compartilham do mesmo local de trabalho quando estão em postos fixos, podendo infectar não só seu colega de trabalho como a população.

"A AGCM já fez contato por telefone com representantes das Prefeituras e comandantes e estamos aguardando o retorno. Estamos a disposição para dialogar e colaborar para que o problema seja resolvido o mais rápido possível e os guardas possam trabalhar em segurança", afirma o presidente.

SANTOS E BERTIOGA.

A Prefeitura de Santos explica que os exames foram disponibilizados, para serem realizados de forma voluntária, durante três dias, para os 316 guardas. "Cerca de 70% do efetivo compareceu e realizou o teste. Os exames continuarão à disposição da corporação e somente dois guardas pegam Covid-19. Ambos estão sendo tratados em casa, pois não há complicações. Outros 22 guardas que pertencem a algum grupo permanecem em casa", revela a Administração. Bertioga possui 85 guardas e a Prefeitura garante que, até o momento, nenhum contraiu covid-19 e não foi necessário realizar teste.

SÃO VICENTE e GUARUJÁ.

A Prefeitura de São Vicente informa que o efetivo é composto por 150 agentes. Deste total, oito foram positivados para Covid-19, sendo que cinco já retornaram ao trabalho e os demais permanecem em isolamento domiciliar. Em Guarujá, a Prefeitura informa boa parte dos 315 guardas já foi testada (248 profissionais), sendo que a previsão é testar os demais até o final de maio. Atualmente, estão afastados 16 guardas, um vigia e um agente de operações, os quais já passaram por atendimento médico e permanecem em isolamento domiciliar.

PRAIA GRANDE.

A Prefeitura de Praia Grande informa que, atualmente a Guarda conta com 405 integrantes, sendo cinco casos confirmados, quatro deles não precisaram de internação, e foi a óbito. Outros dois casos, aguardam internados a confirmação do teste. Além disso, 34 guardas foram afastados com suspeita por apresentarem sintomas gripais, sendo que, deste total, apenas seis ainda não retornaram ao trabalho.

LITORAL SUL.

Em Mongaguá, são 74 agentes e, segundo a Prefeitura, até o momento nenhum contraiu Covid-19 e todos fizeram testes regulares. Em Itanhaém, são 60 guardas, mas 50 guardas deverão aumentar o efetivo em breve, pois se encontra em fase final a o concurso público para o preenchimentos das vagas. Um contraiu COVID-19 e outro está sob suspeita. Dez realizaram o teste. "Com a apresentação dos sintomas, o qualquer servidor é imediatamente afastado. Os protocolos de atendimento são definidos após avaliação médica", afirma a Prefeitura.

Em Peruíbe são 56 guardas e não há nenhum contaminado até agora. "Apenas um guarda precisou fazer teste até agora e o único suspeito foi afastado durante isolamento. Como testou negativo, retornou ao trabalho", explica a Administração.