Controladoria de Guarujá é referência para cidade de Atibaia

Técnicos da cidade paulista estiveram no Município, para conhecer toda estrutura do setor que foi considerado referência pelo Tribunal de Contas

Comentar
Compartilhar
31 MAR 201411h57

A Prefeitura de Guarujá recebeu, na última segunda-feira (24), uma equipe de técnicos da Prefeitura de Atibaia, que vieram conhecer a estrutura da Controladoria municipal, considerada como referência pelo Tribunal de Contas do Estado. A equipe da controladoria interna de Atibaia composta pela contadora e bacharel em Direito, Rita de Cássia Gonçalves Martins, juntamente com seus colegas Antonio Pereira Lopes formado em ciências contábeis e Augusto de Pinho Rodrigues graduado em administração, teve como referência a Prefeitura de Guarujá no curso de controladoria em que fizeram no Tribunal de Contas.

O controlador geral de Guarujá, Zaqueu Elias da Silva Ferreira, recebeu o grupo falando sobre a importância do órgão. “O diferencial da Controladoria de Guarujá vem do fato de ser uma secretaria, portanto a equipe não necessita estar submissa à burocracia de outra pasta, agilizando o fluxo das análises e os relatórios vão direto para a diretoria executiva”, explica.

Zaqueu explicou ainda, que a implantação aconteceu porque o Executivo entendeu que a importância dessa ferramenta de gestão. Então foi elaborada a lei 4004, que trata da reforma administrativa no setor. A novidade foi aprovada pelo Legislativo, resultando na Unidade de Controle: trazer funcionários, fazer a capacitação, sempre agregando onde havia necessidades, próprias da Administração.

Técnicos da Controladoria interna de Atibaia (Foto: Roberto Sander Jr./PMG)

Segundo Zaqueu o controle serve também para identificar os problemas e normatizá-los, decretando a prestação de contas das entidades mensalmente. “Caso a entidade esteja irregular, é notificada a devolver os recursos”. Diz Ferreira.

A Controladoria disponibilizou o manual de compras, que consiste em prevenir as falhas, descrevendo certas orientações, como por exemplo: “a norma de que as requisições passam pela controladoria para análise, se são ou não pertinentes”.

As auditorias são feitas por sistemas (dados processados por um programa de computador) ou in loco (no local, presencial). Outro método são as check lists, que listam os pontos a serem analisados. A partir disto as informações são coletadas para a elaboração do manual, que é entregue às secretarias e organizações, estando também disponibilizado na internet para download.

“Normatizamos a prestação de contas do Terceiro Setor e (organizações sem fins lucrativos e não governamentais, que tem como objetivo gerar serviços de caráter público) inclusive reduzimos para 36 as 111 entidades que prejudicavam os orçamentos. E agora, as próprias entidades que ficaram, fiscalizam”, comenta o controlador geral de Guarujá.

Os visitantes ficaram satisfeitos com o que viram, foi o que disse o contador Antonio Pereira Lopes, “o encontro foi ótimo, mais até do que eu imaginava! Muito bom, esclareceu várias dúvidas”. Ainda segundo o contador, “as recomendações são de fácil entendimento, por meio dos exemplos práticos”, conclui Antônio.