Confirmado caso de malária em Bertioga

A pessoa doente é funcionária de uma empreiteira que presta serviço para a Codesp na Usina de Itatinga

Comentar
Compartilhar
16 JAN 201411h00

A Prefeitura de Bertioga informa que um caso de infecção por malária foi notificado na Cidade no início deste mês. A pessoa infectada é funcionária de uma empreiteira que presta serviço para a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), que administra a Usina Hidrelétrica de Itatinga, há 25 quilômetros de distância do centro da Cidade.

O caso já foi comunicado à Superintendência de Controle de Endemias (Sucen), que está adotando medidas de profilaxia, com a instalação de armadilhas para identificar possíveis fêmeas infectadas do mosquito anopheles, transmissor da doença.

A Secretaria Municipal de Saúde ressalta que se trata de um caso isolado, uma vez que o acesso à área onde ocorreu a infecção é restrito a funcionários da Codesp e fica distante do centro da Cidade. Atualmente, o número de pessoas que circulam pelo local está entre 120 a 300 pessoas. São funcionários da Codesp e seus familiares e funcionários de empresas terceirizadas.

O mosquito anopheles vive somente em área de Mata Atlântica, não ocorrendo em área urbana. Desta forma, a Secretaria reforça que não há motivo para alarme sobre possível epidemia. A Vigilância Epidemiológica de Bertioga está acompanhando o trabalho da Sucen e, caso haja nova notificação sobre infecção, a Superintendência adotará outras medidas de profilaxia.

Vila tem histórico de casos de malária (Foto: Marcos Pertinhes/Sindaport)

Histórico

Em setembro de 2012, um trabalhador teria contraído malária na Usina Hidrelétrica de Itatinga. Outros nove casos da doença foram comprovados na Vila de Itatinga, na época.