Condesb aprova R$ 500 mil para Itanhaém

Já representantes do Estado, assim como o suplente da Secretaria de Planejamento do Conselho, Luiz Henrique Baldez, optaram pela abstenção

Comentar
Compartilhar
25 FEV 201322h20

Itanhaém receberá cerca de R$ 500 mil do fundo do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb). A destinação dos recursos para duas obras na Avenida Rui Barbosa — via de tráfego intermunicipal — foi aprovada por todos os prefeitos e representantes dos municípios, na reunião do Condesb, realizada ontem, na sede da Agência Metropolitana de Desenvolvimento (Agem), na Vila Mathias. Já representantes do Estado, assim como o suplente da Secretaria de Planejamento do Conselho, Luiz Henrique Baldez, optaram pela abstenção.

Do total, R$ 237.015,00 serão aplicados na reurbanização da Avenida Rui Barbosa entre as ruas João Mariano Ferreira e Jacome Fajardo, e R$ 263.534,00 contemplarão o trecho da avenida entre as ruas Jacome Fajardo e Capitão Bento. O prefeito de Itanhaém, João Carlos Forssell defendeu que a reurbanização beneficia usuários do Hospital Municipal, localizado na Avenida Rui Barbosa. “O hospital é regional, atende não só o município, mas pessoas de outras cidades da região metropolitana”. 

A proposta da Agem destinando recursos de até R$ 300 mil para a contratação de estudos da edição dos Indicadores Metropolitanos da Baixada Santista 2005/2006 também foi aprovada na reunião.

Presentes à reunião estavam os prefeitos João Paulo Tavares Papa (Santos) — presidente do Conselho —, João Carlos Forssell (Itanhaém), Arthur Parada Prócida (Mongaguá), Tércio Garcia (São Vicente) e Alberto Mourão (Praia Grande); e a vice-prefeita Julieta Omuro (Peruíbe).     

Ensino

Membros da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) solicitaram o apoio das autoridades à residência pedagógica para formandos dos cursos superiores de licenciatura, em escolas públicas. Na oportunidade, A Undime encaminhou aos conselheiros o estudo ‘Diagnóstico Educacional com Proposta de Melhoria da Qualidade de Ensino da Baixada Santista’. “O nosso intuito é fazer com o professor que está deixando a faculdade possa aplicar na prática o que aprende na teoria. Este profissional faria residência — assim como existe a residência médica — nas escolas públicas”, explicou a secretária de Educação e Desenvolvimento Cultural de Bertioga, Maria Julieta Farah Lanças — representante da Undime estadual na Baixada Santista.

Já o secretário de Educação de Guarujá, Mohamad Abdul Rahim, encaminhou, após sua explanação sobre o documento da Undime, moção de apoio ao projeto de lei que prevê a instituição de residência educacional para professores, de autoria do senador Marco Maciel (PFL-PE). A propositura tramita no Senado.