Comissão Especial de Vereadores se reúne com Prodesan no dia 28

CEV busca fiscalizar os serviços prestados pelas autarquias municipais. Banha destacou que a empresa possui muitas dívidas de administrações anteriores

Comentar
Compartilhar
23 ABR 201510h44

A Comissão Especial de Vereadores (CEV) de Santos, criada para fiscalizar os serviços prestados pelas autarquias municipais irá se reunir com a Progresso e Desenvolvimento de Santos (Prodesan) no próximo dia 28.

“Temos muitos requerimentos e vamos fazer todos os questionamentos possíveis e imagináveis”, disse o vereador Antonio Carlos Banha Joaquim (PMDB), que preside a CEV. 

Banha destacou que a empresa possui muitas dívidas de administrações anteriores. “Queremos saber sobre as dívidas que ficara lá, como está sendo feita a recuperação da empresa. A Prodesan é antiga. Ela nasceu com o princípio de ser um suporte de desenvolvimento da Prefeitura, e com o tempo ela foi ficando no limbo, deficitária”.

Esta será a segunda reunião da CEV neste ano. A primeira foi realizada neste mês, na Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), e contou com a presença do presidente do órgão, Antonio Carlos Silva Gonçalves.

Para vereador, CET não deveria administrar bondes turísticos (Foto: Matheus Tagé/DL)

O presidente da comissão destacou alguns pontos que foram discutidos. “Tem algumas coisas equivocadas. Por exemplo, o Estado utiliza 80% do novo pátio contratado, na Caneleira e não paga para a Municipalidade. O Munícipio utiliza o sistema do Detran para aplicar multas em carros que vêm de fora. Para utilizar esse sistema, a CET paga R$ 2,7 milhões”.

Outra questão abordada foi em relação aos bondes turísticos. Para Banha, o serviço não deveria ser administrado pela CET. “Por que a CET precisa administrar o bonde? Só com o bonde, se gasta R$ 1,5 milhão. Quem tem que tomar conta do bonde é a Secretaria do Turismo, buscar patrocinador. Quem paga a conta de luz é a Viação Piracicabana porque o bonde usa o sistema do trólebus. Deveria ter um relógio de luz à parte. Está tudo errado”.

Banha também espera esclarecimentos em relação ao que a companhia fez com o dinheiro de arrecadação das multas. Segundo o vereador, a CET arrecadou, no ano passado, R$ 33 milhões. “Onde eles investiram esse dinheiro? São muitos questionamentos”, finalizou.