Comércio espera faturar até 30% a mais com ‘Dia dos Pais’

Para o Sindicato do Comércio Varejista da BS o frio favoreceu as vendas de vestuários e calçados

Comentar
Compartilhar
03 MAR 201318h25

Lojistas esperam superar as vendas para o Dia dos Pais em até 30% em relação ao ano passado. A expectativa é que a procura aumente ainda mais neste sábado, véspera da data.

O subgerente de uma loja de artigos masculinos de um shopping de Santos, Valter Lima da Silva, afirmou que a expetativa é faturar 30% a mais neste Dia dos Pais. Segundo ele, camisas são os produtos de maior saída este ano, mas curiosamente, quem tem comprado os presentes para os papais são as esposas. “As esposas é que compram os presentes para os pais e para os maridos em nome dos filhos. Os filhos que vieram aqui na loja foram poucos”, disse Valter.

O perfil da clientela se repete em outra loja de artigos masculinos. “As mulheres é que compram os presentes para os maridos. Muitas tem filhos pequenos e compram para eles presentearem”, afirmou o gerente Paulo Anieri, que espera um aumento nas vendas de 15%, em relação ao último Dia dos Pais. “No ano passado conseguimos atingir 95% da meta esperada”.

Já o presidente do Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista, Alberto Weberman, disse que o frio atípico das últimas semanas aqueceu as vendas de vestuários e calçados e que essa é a tendência de presentes para os pais. “As vendas de julho cresceram 15% e devem aumentar mais 5% neste sábado que antecede o Dia dos Pais”, acredita Weberman.

Para ele, os telefones celulares também devem ter boa procura este mês. A oferta de produtos e preços é grande. Camisas, bermudas, pijamas, roupas íntimas, meias e ternos têm preços entre R$ 29,95 a R$ 399,95, mas a preocupação de quem vai presentear é a escolha do presente certo.

“É muito importante conhecer o gosto do pai para saber o que comprar. Eu estou comprando calça social, camisa e meias nos modelos que ele gosta e tenho certeza que ele vai gostar. Ele merece muito mais do que isso”, declarou a professora Selma Guedes, enquanto comprava os presentes para o pai de 86 anos de idade.

Mas nem todo mundo compra o presente para o próprio pai. “Estou escolhendo um presente para o meu afilhado que é pai. Na verdade o presente vale pelo aniversário dele e pelo Dia dos Pais. Adoro presentear as pessoas que eu gosto. É uma satisfação para mim”, disse entusiasmada a professora Vera Lúcia de Carvalho.

O pai da recepcionista Rosária Silva Linhares já é falecido, mas ela resolveu homenagear nesta data especial, o pastor de sua Igreja, de 78 anos. “Ele é muito bom para todos, uma pessoa maravilhosa. E como não tenho mais pai e nem irmão, resolvi presenteá-lo”, afirmou com satisfação Rosária.