Comércio cresceu 10% nos últimos dois anos

Presidente da ACIC afirma que as grandes redes estão investindo cada vez mais na Cidade

Comentar
Compartilhar
18 FEV 201322h11

“O comércio de Cubatão vive um momento positivo hoje, de crescimento”, afirmou o presidente da Associação Comercial e Industrial de Cubatão (ACIC), Silvano da Silva Lacerda. A avaliação de Silvano tem como base a instalação de lojas de grandes redes na Cidade, além de micro e pequenas empresas, nos últimos dois anos. O comércio cresceu, somente nesse período, 10%, e o principal fator atribuído por Silvano, é o fomento do parque industrial.

“Os investimentos das indústrias geram aumento do fluxo de capital na Cidade”, com essa premissa a Associação Comercial tem trabalhado no estreitamento da relação entre comércio e indústria, as duas principais fontes de fomento econômico de Cubatão.

Segundo o presidente da ACIC, a associação fez um levantamento do perfil das indústrias de modo a abrir mercado para micros e pequenas empresas fornecedoras de insumos. “As indústrias comprariam produtos que necessitam aqui mesmo na Cidade e dessa também beneficiariam as micros e pequenas empresas”, observou.

Para desenvolver esse filão, a ACIC também promove cursos de aprimoramento profissional e palestras de Gestão de Qualidade em parceria com o Sebrae, voltados para funcionários e empresários. “Hoje a qualificação profissional é essencial para o aprimoramento da qualidade tanto da empresa quanto de pessoas”.

Porém, o presidente da ACIC ressaltou a Lei de incentivos fiscais favorece hoje apenas as grandes indústrias, deixando à margem micros e pequenos empresários. Silvano defende a necessidade de políticas públicas que ofereçam incentivos fiscais também aos micros e pequenos empresários que são os que mais absorvem a mão-de-obra local. Cerca de 70% dos funcionários dos estabelecimentos comerciais são cubatenses. “Isso é importante porque reflete na geração de renda e circulação de capital na própria cidade, favorecendo a economia”, afirmou Silvano.

O presidente da ACIC disse que mesmo a Lei Geral de Micros e Pequenas Empresas ainda não é praticada em âmbito municipal. “Essa lei é aplicada em nível federal e estadual, mas no nível municipal ainda gatinha, não só em Cubatão, mas na maioria dos municípios. A lei prevê, por exemplo, que nas licitações, onde concorrem micros e grandes empresas, a micro poderia lançar um valor 5% maior e ainda assim vencer a concorrência. Mas, nas cidades, isso não acontece”.

É preciso, de acordo com Silvano, aprofundar as discussões sobre o recolhimento de IPTU, ISS e ICMS. Na visão dele, a redução de ISS atrairia mais profissionais liberais. Silvano ressaltou que é preciso concentrar esforços para favorecer o desenvolvimento do comércio e da prestação de serviços.

Hotéis

O setor hoteleiro também está crescendo em Cubatão. Silvano destacou dois hotéis nível três estrelas em construção na Cidade que devem ser concluídos até o final deste ano. O setor deve atender, principalmente, funcionários do parque industrial.