Comemorando 30 anos de história, Coral Municipal de Santos se reinventa

Neste sábado (8), o coral lança mais uma série de vídeos produzidos durante o período de isolamento social no Canal Cultura no YouTube

Comentar
Compartilhar
06 AGO 2020Por Da Reportagem19h04
O conjunto faz parte dos Corpos Estáveis da Secretaria de Cultura de SantosFoto: Divulgação/PMS

Trinta anos de história, mas sempre se renovando. É desta forma que o Coral Municipal de Santos completa três décadas de música, apresentações marcantes e, mais recentemente, descobrindo a internet como um importante elo entre o grupo e seu público.

Neste sábado (8), o coral lança mais uma série de vídeos produzidos durante o período de isolamento social no Canal Cultura no YouTube (www.youtube.com/culturasantos). Depois do sucesso do 'Falando em Coro', uma sequência de entrevistas com personagens da música nacional e internacional, vai ao ar o 'Cantando em Casa', projeto no qual os 44 integrantes cantam juntos, utilizando modernos recursos de edição de som e imagem.

No primeiro vídeo, que será exibido a partir do meio-dia, o público vai conferir a versão do coral santista para o hit dos anos 1980, Sweet Dreams, gravado pelo grupo britânico Eurythmics. A mesma canção ganhou outra roupagem, em 1995, na voz do cantor norte-americano Marilyn Manson.

Trajetória nos palcos

Formado em 1990 pelo maestro Roberto Martins, sob a regência do maestro Sinésio Pinheiro (morto em 1995), o coral se constituiu num dos mais importantes grupos artísticos da região. Ao longo de três décadas, construiu um repertório de música coral que abrange grandes compositores da música erudita, além de arranjos de música popular brasileira, música folclórica e canções latino-americanas.

Composto por 14 contraltos, 15 sopranos, sete tenores e oito baixos, o conjunto faz parte dos Corpos Estáveis da Secretaria de Cultura de Santos (Secult), realizando diversas apresentações em eventos nacionais e internacionais de coros.

Há sete anos, sob a regência da maestrina Nailse Machado Cruz, do maestro adjunto Fernando Pompeu, do preparador cênico Joacir Leite e do pianista Bruno Felix de Souza, o grupo passou a ensaiar no Centro de Atividades Integradas de Santos (Cais), com a proposta de formação e integração com outros equipamentos culturais, através da construção de um repertório de estilos mais abrangente e jazzístico, com foco na movimentação cênica em suas apresentações.

No biênio 2016/2017 homenageou os 100 anos do samba, com repertório de grandes compositores brasileiros como Cartola, Assis Valente, Noel Rosa, Adoniran Barbosa e Pixinguinha. Dando prova de sua versatilidade, umas das marcas do coral, no mesmo período, apresentou arranjos de jazz e standard, de compositores como Gershwin, Cole Porter, Rodgers and Hart e tantos outros grandes nomes do gênero.

Em 2017, iniciou mais dois projetos: Coral Municipal Convida e Encanta Natal. Já no ano passado, estreou o espetáculo Jazzileirando, com as participações do Coral da Alfândega, da contrabaixista Damares Santos e da percussionista Lelê Lotus. Fechando o ano, apresentou-se ao lado do cantor Guilherme Arantes, para mais de 25 mil pessoas, no espetáculo Ilumina Santos, exibido em duas sessões na orla da Praia do Gonzaga.

"O coral municipal já se tornou referência para outras cidades, tornando-se um patrimônio e orgulho da Cidade. Poucos grupos vocais chegam a 30 anos de história, e acredito que muitas outras décadas de boa música ainda estão por vir", declarou o secretário de Cultura, Rafael Leal.

A reinvenção na internet

Para 2020, havia um planejamento com muitas apresentações e celebrações. No entanto, quando março chegou, trouxe com ele a pandemia do novo coronavírus. Shows cancelados, teatros vazios e muitas incertezas vieram nas semanas que se seguiram. No meio de tantas notícias ruins, uma alternativa utilizada por quase 100% do setor musical também virou um novo caminho para o coral: a Internet.

"Há um maestro americano, Erick Whitacre, que faz vídeos de corais e posta na rede há mais de 10 anos. A partir do trabalho dele, começamos a trocar informações para sabermos como poderíamos fazer um trabalho de boa qualidade e que nos deixasse satisfeitos", conta a maestrina Nailse Machado.    

Desde o início de junho, o canal do YouTube Cultura Santos (www.youtube.com/culturasantos) está exibindo a série Falando em Coro, na qual a maestrina Nailse Machado entrevista músicos, diretores, educadores e outros profissionais do meio artístico. Agora, no mês de agosto, o público começará a matar um pouco da saudade do grupo, com performances em formato digital.

Contando com mão de obra de 100% de integrantes do próprio coral na produção dos vídeos – inclusive nos processos de edição e sonorização - a maestrina anuncia que outros conteúdos já estão sendo preparados. "Vamos lançar uma terceira série de vídeos, o Nossos Talentos, para destacar as habilidades dos nossos coralistas, que muitas vezes vão muito além da música".