Com repercussão, exposição “Amor - História Não Contada II” é prorrogada até 19 de junho, na Casa do Barão, em SV

Mostra do artista nigeriano radicado na cidade traz 14 pinturas em técnicas diversas e pode ser visitada das 9h às 17h, no Instituto Histórico e Geográfico

Comentar
Compartilhar
15 JUN 2021Por Da Reportagem11h00
O pintor Augustine KawohO pintor Augustine KawohFoto: Grupo Vapalu /Divulgação

O pintor africano Augustine Kawoh está muito feliz com a repercussão da segunda edição da mostra que homenageia mulheres, homens e crianças afrodescendentes, suas lutas e conquistas.

Intitulada “Amor – História não contada II”, que deveria ser encerrada no dia 7 de junho, continua em cartaz até dia 19 do mesmo mês, sábado, na Casa do Barão, sede do Instituto Histórico e Geográfico de São Vicente (IHGSV), na Rua Frei Gaspar, 280, Centro. O horário de visitação vai das 9h às 12h, e das 14h às 17h. A entrada é gratuita. 

A mostra tem curadoria de Vanessa Rajomes, e realização do Grupo Vapalu, por meio da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, via Secretaria Municipal de Cultura de São Vicente.

SOBRE AUGUSTINE KAWOH (AUSTIN) 

Nascido na cidade de Lagos, na Nigéria, em 1982, nunca freqüentou uma escola de arte, aprendeu a pintar aos 9 anos, com o pai costureiro. Começou a trajetória profissional na sua cidade natal, quando passou a vender suas pinturas para redes de hotéis, incentivado por um amigo. Formado em Marketing, veio ao Brasil para estudar mergulho na Fefis (Faculdade de Educação Física de Santos). Depois de oito anos morando na cidade de São Vicente, se naturalizou e fez do Brasil o seu lar. Vindo de um país colonizado pelos ingleses, Austin ainda está aprendendo a dominar o português. “Eu penso em inglês e falo em português”, revela.