Codesp vai mediar impasse entre sindicatos e empresas

O presidente da Codesp garantiu em reunião que estará mediando o impasse sobre a questão da multifuncionalidade para a mão de obra utilizada no Porto de Santos

Comentar
Compartilhar
09 FEV 201320h05

O presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), José Roberto Correia Serra, garantiu em reunião com sindicatos de trabalhadores portuários, realizada ontem de manhã, que estará mediando o impasse sobre a questão da multifuncionalidade para a mão de obra utilizada no Porto de Santos.

O presidente do Sindogeesp, Guilherme do Amaral Távora, afirmou que os representantes dos dez sindicatos presentes na reunião concordaram com a iniciativa da Autoridade Portuária de intermediar a questão entre os portuários e o Sindicato dos Operadores Portuários (Sopesp).

Segundo Guilherme os sindicatos vão aguardar um prazo de 30 dias quando a Codesp conduzirá as reuniões com o Sopesp e Conselho de Autoridade Portuária (CAP), afim de que se chegue a um acordo sobre a aplicação da multifuncionalidade no Porto de Santos.

De acordo com Guilherme, nenhuma assembléia será realizada pelos sindicatos neste período para discutir possível paralisação das atividades no porto. Esta possibilidade foi levantada na última mesa-redonda promovida entre os sindicatos dos trabalhadores do porto em razão do impasse na concessão da multifuncionalidade. 
 
Conforme informou a Codesp, por meio de nota, o assunto é impasse em âmbito nacional. Sindicatos e federações de portuários exigem a implementação da multifuncionalidade para os trabalhadores ligados ao OGMO.

Serra reconhece que a multifuncionalidade é lei e tem de ser aplicada e que existem diversos pontos para efetivar seu processo de implementação.