Climatempo descarta fenomeno 'microburst' e explica causa de temporal na Região

A agência explicou que para afirmar que houve um microburst é necessário olhar para diversas variáveis meteorológicas

Comentar
Compartilhar
11 FEV 2020Por Vanessa Pimentel07h00
Chuvas ultrapassaram média histórica dos últimos 25 anosFoto: Nair Bueno/DL

O Climatempo, instituição que oferece serviços de Meteorologia, descartou o fenômeno chamado 'microburst' (micro explosão) como o causador das fortes chuvas que atingiram a Baixada Santista entre domingo (9) e segunda-feira (10).

Esse fenômeno ocorre quando correntes de ar muito fortes se desprendem da base das nuvens cumulonimbus (frequentemente associadas a eventos meteorológicos extremos) em direção ao solo e aumentam a força com que a chuva e os ventos chegam às regiões. 

A agência explicou que para afirmar que houve um microburst é necessário olhar para diversas variáveis meteorológicas. 

"Somente uma imagem de satélite ou dados de volumes de chuva não são capazes de comprovar tal fenômeno. Precisamos olhar para a intensidade dos ventos e outras variáveis (até fotos registradas) para emitir qualquer análise", pontuou em nota. 

Para a meteorologista do grupo, Josélia Pegorim, as chuvas torrenciais foram resultado somente da chegada de uma frente fria sobre o estado, responsável pela formação de nuvens extensas e muito carregadas no litoral, interior e Grande São Paulo.