Cliente denuncia reajuste de 199% em plano de saúde

A mensalidade do plano empresarial contratado por Sandra subiu de R$ 788,40 para R$ 2.177,00

Comentar
Compartilhar
23 JAN 201300h01

A empresária Sandra Ribeiro Rosa, de 51 anos, levou um susto quando recebeu o boleto da mensalidade de seu plano de saúde que vence no dia 10 deste mês. O valor da mensalidade do plano empresarial aumentou de R$ 788,40 para R$ 2.177,00. Segundo ela, houve um reajuste em torno de 199%.

Sandra contratou o plano empresarial da Medial Saúde para quatro pessoas que trabalham em sua lanchonete, incluindo ela própria, há três anos. Na época ela migrou para essa empresa atraída pelos preços do serviço. Os beneficiários do plano têm idades de 20, 28, 51 e 49.

De acordo com Sandra, no atendimento ao cliente, as atendentes justificaram que o reajuste era referente a "majoração de clientes", sem dar maiores explicações sobre o que isso significa.

A cliente alega ainda que a empresa não se mostrou aberta a renegociar o valor da mensalidade, em virtude do aumento que ela considera abusivo e muito além do reajuste anual que normalmente é aplicado pela empresa com base na idade do cliente, aniversário do plano e índice de inflação do Governo. Segundo Sandra, o reajuste anual costuma ser em torno de 7% a 8%.

Sandra diz ainda que não foi informada com antecedência sobre o reajuste da mensalidade. Ela explica que não pode encerrar o contrato com o plano de saúde. Desde que terminou o tratamento de um câncer de mama, ela realiza exames periódicos, de seis em seis meses, para prevenir a doença.

Perguntada sobre se o plano cobria esse tipo de tratamento, Sandra diz que o plano cobria e que não se tratava de doença preexistente. E, segundo ela, todo o tratamento e o processo cirúrgico foram feitos após o período de carência do plano. 

O coordenador do Centro de Informação, Defesa e Orientação ao Consumidor (Cidoc) de Santos, Adelino Pedro Rodrigues, explica que no caso de Sandra como pessoa jurídica, a única saída é recorrer à Justiça contra a cobrança indevida, porque o Cidoc ou unidades do Procon só atendem reclamações de pessoas físicas, com plano de saúde individual.

Media Saúde

Em nota, a Medial Saúde informou que: “em resposta ao questionamento realizado pelo jornal Diário do Litoral sobre o reajuste no contrato do plano de saúde da beneficiária, Sra. Sandra Ribeiro Rosa, a Medial Saúde esclarece que busca constantemente manter a sustentabilidade econômico-financeira de seus planos, procurando garantir sempre um serviço de qualidade a seus beneficiários.

O contrato mencionado apresentou alto índice de custos médicos nos últimos 12 meses e, se analisado individualmente, dificilmente seria possível restabelecer um equilíbrio saudável entre o prêmio pago e os gastos consumidos.

Ao invés de optar pelo repasse integral do resultado negativo, foi analisado o comportamento da carteira de contratos em que ele está inserido, o que viabilizou o repasse apenas parcial deste resultado negativo. Mesmo com o reajuste proposto, o resultado do contrato permanecerá negativo.

Adicionalmente, a Medial informa que contatou os dois titulares do contrato, Sra. Alessandra Ribeiro Rosa e Sra. Sandra Ribeiro Rosa, por telefone, em 20 de outubro, informando sobre o reajuste no contrato. A Medial informa, ainda, que os reajustes nos planos de saúde seguem as determinações da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)”.