FEMINICIDIO

Cinebiografia de Elton John não esconde o sexo ou as drogas

A cinebiografia faz um retrato honesto e não esconde reluzentes carreiras de cocaína, cenas de sexo gay ou os fracassos do biografado da vez.

Comentar
Compartilhar
18 MAI 2019Por Folhapress16h10
A cinebiografia sobre Elton John, "Rocketman", é tudo o que "Bohemian Rhapsody" não consegue ser.Foto: Reprodução/Redes Sociais

A cinebiografia sobre Elton John, "Rocketman", é tudo o que "Bohemian Rhapsody" não consegue ser. Igualmente comercial, faz um retrato honesto e não esconde reluzentes carreiras de cocaína, cenas de sexo gay ou os fracassos do biografado da vez. O longa estreia no Brasil dia 30/5.

Uma das sacadas é o fato de ser um musical. O registro é mais fantástico e menos realista do que longa sobre Freddie Mercury.

Não dava para esperar outra coisa da biografia de uma pessoa tão extravagante como Elton John. O diretor Dexter Fletcher usa as canções do músico para acompanhar cenas de orgias psicodélicas e apresentações em que os espectadores voam em êxtase.

A história mostra o garoto gordinho com problemas de autoestima que é um ás no piano. A rebeldia, fruto de uma família desestruturada, o levaria para o rock e para a bem-sucedida parceria com Bernie Taupin, seu letrista.

Tudo é contado da perspectiva do músico já mais velho e que procura ajuda num grupo para superar os vícios.

Hits costuram o filme, como "Your Song" e "Rocket Man". A maioria cai como uma luva na história; outras, nem tanto.

Em conversa com a imprensa, a equipe do filme não se safou de comparações com "Bohemian Rhapsody".

Fletcher,que assumiu a direção do longa sobre o Queen após a demissão de Bryan Singer, evitou o assunto. "Vamos falar sobre 'Rocketman', pessoal?", pediu.

"Os dois filmes são lances totalmente diferentes", afirmou Taron Egerton, inglês que faz o papel de Elton John.

"Rocketman" se permite um pouco menos de pudor e exibe Egerton em amassos com Richard Madden, que faz o papel do seu empresário cafajeste. Ainda assim, Fletcher foi forçado a cortar cenas de sexo, segundo a imprensa britânica.

Colunas

Contraponto