Banner gripe

Cidades da região aumentam segurança nas escolas após ataque em Suzano

Cubatão é única cidade da Baixada Santista que não possui Guarda Municipal

Comentar
Compartilhar
19 MAR 2019Por Glauco Braga08h00
A Guarda Municipal aumentou a vigilância nas escolas de SantosFoto: Nair Bueno/DL

A quarta-feira, 13 de março, foi dia de mais uma tragédia no Brasil. Dois jovens invadiram a escola estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, mataram oitos pessoas e depois se suicidaram. A insegurança que ronda os colégios de todo o País passou a assustar mais ainda pais, alunos e autoridades. Na Baixada Santista, os cuidados foram redobrados.

Em Peruíbe, um vídeo que circulou domingo em redes sociais sobre suposta ameaça a alunos de escolas públicas e particulares levou pânico à população. Foi intensificado o patrulhamento nas escolas municipais e as rondas.

Em Santos, a Guarda Civil Municipal disse que intensificou o patrulhamento preventivo nas unidades municipais de ensino, visando assim a segurança dos alunos e funcionários. A Secretaria de Educação esclarece que as unidades estão realizando rodas de conversa e abrindo espaço para o diálogo com os estudantes para que eles se expressem e se acalmem. Vale destacar que a rede desenvolve inúmeros projetos que ressaltam os valores, cidadania e protagonismo juvenil para prevenir bullying e qualquer forma de violência.

Em Guarujá, a Prefeitura informou que a Guarda Civil Municipal já realiza, periodicamente, ronda escolar nos próprios educacionais, e dentro das escolas, a Prefeitura possui o guarda patrimonial, além de câmeras de monitoramento.

Cubatão não possui guarda municipal. Atualmente todas as escolas públicas da contam com vigilantes ou controladores de acesso e a Ronda Escolar da PM. De acordo com o Secretaria de Segurança Pública e Cidadania está em fase de elaboração o projeto para ser licitado do sistema de videomonitoramento, que será implantado em todos os próprios municipais e nas escolas.

Controle

A Secretaria de Educação de São Vicente disse que as escolas municipais contam com vigilantes no controle de acesso às unidades. Os horários de entrada são pré-determinados e o atendimento nas secretarias é feito separadamente da área interna, onde ficam alunos e professores. No caso da Educação Infantil, há uma relação com os nomes dos pais ou responsáveis autorizados a pegar as crianças ao término da aula.

A Prefeitura informa, ainda, que a ronda escolar atua de forma preventiva, com unidade na Área Insular e na Área Continental. O trabalho é em conjunto com diretores da rede municipal, que, identificando qualquer alteração na rotina escolar aciona a corporação.

Em Itanhaém, o Município realizou uma seletiva para a função de Guarda Patrimonial que está em fase conclusiva. Os profissionais irão atuar nos períodos diurno e noturno nas escolas municipais. Durante o período de aula, a recomendação é para que as escolas fiquem com os portões trancados.

Além disso, todas as unidades escolares do Município possuem alarmes com ativação noturna. Todavia, a Guarda Municipal também está à disposição das unidades escolares, e normalmente já atende solicitações das mesmas.

A Prefeitura de Praia Grande disse que a Guarda Civil realiza rondas diariamente pelas escolas do Município, não tendo sido necessário intensificar esse tipo de ação. Além disso, quando há comunicado de algum problema específico em alguma unidade, são destacadas equipes para prestar apoio nos horários de entrada e saída da referida escola.

É importante lembrar ainda que todas as unidades de ensino contam com câmeras de monitoramento conectadas ao Centro Integrado de Comando e Ações Especiais e são dotadas de sistema de alarme, garantindo mais segurança a alunos e funcionários.

A Secretaria de Segurança e Cidadania informa que toda a conduta dos GCMs está sendo revisada e intensificada para melhor adequar as rondas escolares, além de melhorar a inteligencia policial para agir de forma rápida para inibir ou diminuir os impactos em caso de crise de segurança.

Colunas

Contraponto