Chuvas: Comdec decreta a volta ao nível de alerta em Cubatão

Deslizamentos atingiram três casas em Pilões, uma em Pedreira Mantiqueira.

Comentar
Compartilhar
09 JAN 201318h39

Às 18 horas desta quarta-feira (9), Cubatão voltou ao nível de alerta em decorrência das fortes chuvas. Naquele horário, a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (Comdec) estava com as equipes em campo verificando principalmente as regiões de Pilões, Pedreira Mantiqueira e Cota 200.

Em Pilões, deslizamentos de material terroso e árvores atingiram três casas e obstruíram 100 metros da via de acesso ao núcleo, e duas famílias foram abrigadas no Centro Comunitário. Na Pedreira Mantiqueira, queda de árvore e deslizamento levaram uma família a ser abrigada em centro comunitário. Na Cota 200, ocorreram alagamentos, também registrados em outros pontos da cidade, como Vila São José, Vila Esperança, Vila Nova e Água Fria.

Segundo o coordenador da Defesa Civil, José Antonio dos Santos, um dos parâmetros para a definição do nível de alerta em Cubatão é a quantidade de chuvas em 84 horas acima de 100 mm. Na Cota 400, os medidores apontaram (às 17 horas desta quarta-feira) pluviosidade de 100,8 mm em 84 horas (dos quais 99,8 apenas nas últimas 24 horas). O outro ponto de medição, denominado Portão 40, acusou acumulado de 94,8 mm nas últimas 84 horas (dos quais 92,4 mm apenas nas últimas 24 horas).

Com a decretação do nível de alerta dentro do Plano de Defesa Civil de Cubatão, uma equipe da Defesa Civil estadual se deslocará para a cidade, com geólogos do Instituto Geológico, para rever os pontos atingidos, respaldar as medidas já adotadas e orientar sobre outras providências que precisem ser adotadas.

Aliás, o Comdec já havia recebido às 16h30 o aviso 11/2013 do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais – informando sobre "risco moderado de movimento de massa e deslizamento em Cubatão", mas as equipes municipais se anteciparam e já estavam em campo, pois as chuvas na cidade começaram mais cedo.

Na Cota 200 e na Cota 95, foram verificados alagamentos e deslizamentos (Foto: Divulgação)

Atendimentos

Um dos primeiros comunicados recebidos pela Defesa Civil foi sobre queda de árvore e deslizamento de talude na Pedreira Mantiqueira (divisa com Santos, defronte à Usiminas), Verificou-se que a ocorrência foi de pequeno porte, mas uma família foi preventivamente abrigada no centro comunitário do núcleo.

O segundo comunicado recebido pelo Comdec foi sobre queda de árvores e terra na área de Pilões, atingindo três casas. Duas famílias foram levadas para o centro comunitário e os moradores da terceira casa estão em viagem. Os deslizamentos também interditaram 100 metros da via de acesso ao núcleo, mas só será possível iniciar a remoção a partir desta quinta-feira, após inspeção conjunta com técnicos da CPFL (por terem sido atingidos postes da rede elétrica) e do Departamento de Infraestrutura, já que é necessário esperar a consolidação do material antes de removê-lo.

Na Cota 200 e na Cota 95, foram verificados alagamentos e deslizamentos. Duas equipes da Defesa Civil seguiram para o local no final da tarde, para apurar a situação.

A previsão de chuvas com que a Defesa Civil trabalha para as próximas horas é de moderada a forte, de curta duração. Para todo o mês de janeiro, a pluviosidade esperada é de 298,4 mm.