Chuva interdita Avenida Nossa Senhora de Fátima, em Santos

Agentes da CET-Santos estão na via orientando os motoristas. Em Guarujá, famílias que vivem em duas regiões de risco, foram orientadas a deixarem suas residências

Comentar
Compartilhar
26 MAR 201418h32

Por conta de alagamento das duas pistas, a Avenida Nossa Senhora de Fátima está interditada para veículos pequenos em ambos os sentidos. Agentes da CET-Santos estão na via orientando os motoristas.

O bloqueio para quem sai da Zona Noroeste em direção ao Centro é na altura da Rua  Boris Kauffman. Os provenientes do Centro que pretendem chegar à Nossa Senhora de Fátima utilizando a Avenida Martins Fontes são orientados a retornar na altura do cemitério da Filosofia (Saboó). Existem duas  rotas alternativas para o percurso Zona Noroeste/Zona Leste: pelo morro Nova Cintra, entre Marapé e Caneleira, ou pela orla, passando por São Vicente.  

A chuva que atingiu Santos na tarde desta quarta-feira (26) causou alagamento em diversos pontos da Cidade. Na Avenida Martins Fontes, nas proximidades da empresa Sancap, apenas a pista esquerda está transitável. As ruas Boris Kauffman e Ana Santos estão intransitáveis.
 
Já as Ruas Lucas Fortunato, Júlio de Mesquita e Júlio Conceição estão alagadas, mas transitáveis.

O Diário do Litoral registrou pontos de alagamento na Rua João Pessoa, no cruzamento com a Avenida Conselheiro Nébias.

Agentes da CET-Santos estão na via orientando os motoristas (Foto: Luiz Torres/DL)

Guarujá

A Defesa Civil de Guarujá informa que o acumulo das fortes chuvas ocorridas, nesta tarde de quarta-feira (26), oscilou entre 40 e 52 milímetros.

Em decorrência do forte temporal e para evitar algum tipo de tragédia, o órgão da Prefeitura orientou 10 famílias, que vivem em duas regiões de risco – Vila Baiana (3 famílias) e Cachoeira (7 famílias), deixarem suas residências e procurarem abrigo em casas de parentes e amigos.

A medida tem como objetivo assegurar a integridade física dessas famílias, que só devem voltar para suas residências, após o laudo da Defesa Civil.

Para isso, é necessário no mínimo três dias de estiagem, após esse período a Defesa Civil promove uma nova vistoria no imóvel e libera, ou não, o retorno dos moradores. Além disso, a Defesa Civil apontou os pontos de alagamento no Município: Santo Antônio, Santa Rosa, Vicente de Carvalho, Enseada e Centro.