Ceptas recebe lagartixa rara da Nova Caledônia, no Oceano Pacífico

Animal foi encontrado em encomenda dos Correios, em Praia Grande

Comentar
Compartilhar
14 AGO 2019Por Da Reportagem10h50
O animal é comum no arquipélago de Nova CaledôniaFoto: Divulgação/Ceptas

Desde a última sexta-feira (dia 9), o Ceptas (Centro de Pesquisa e Triagem de Animais Selvagens), mantido em Cubatão pela Universidade São Judas, está tratando de uma lagartixa-de-crista encontrada  em uma encomenda dos Correios em Praia Grande.

Segundo o gestor do Ceptas, o médico-veterinário Lucas Porto, a lagartixa está desidratada, abaixo do peso e também perdeu a cauda. "É um indivíduo que vai ser tratado e terá que ser mantido em cativeiro", explicou.

Da espécie (Correlophus ciliatus), o animal foi resgatado após ser encontrado em uma encomenda nos Correios em Praia Grande. Os funcionários estranharam o fato de haver barulho dentro da caixa. Eles pediram ajuda do Grupamento Ambiental da Guarda Civil Municipal, que deslocou uma equipe e acompanhou a abertura da encomenda suspeita. Depois disso, foi encaminhada ao Ceptas para tratamento.

Longe de casa - A espécie não existe no Brasil e é oriunda do arquipélago da Nova Caledônia, localizada no Oceano Pacífico, a 14 mil quilômetros de distância. É um animal onívoro e é uma das únicas espécies de lagartos que não tem regeneração da cauda, como ocorre com as lagartixas.

A lagartixa resgatada, após ser reabilitada no Ceptas, deverá ser encaminhada para um empreendimento que tenha autorização para manejo da espécie e que tenha condições de mantê-la. 

A Guarda Civil Municipal registrou a localização do réptil no 1º Distrito Policial de Praia Grande, por onde deverá ser investigado. Comercializar animais sem autorização dos órgãos ambientais é crime. Denúncias podem ser realizadas por meio dos telefones 199 e 153.  

Mantido pela São Judas, o Ceptas está ligado ao curso de Medicina Veterinária da instituição. Funciona em Cubatão, no Parque Cotia-Pará, no Km 56 da Rodovia Anchieta.