Casos de Covid-19 entre indígenas em Peruíbe provocam ação civil pública

Requerimento da deputada Professora Bebel solicita testagem em toda a comunidade

Comentar
Compartilhar
23 JUN 2020Por Da Reportagem17h05
Comunidades indígenas da Terra Indígena Piaçaguera já registraram três casos da Covid-19Foto: Nair Bueno/DL

O promotor de Justiça Diogo Pacini de Medeiros e Albuquerque comunicou, nesta segunda (22), que o requerimento protocolado pela deputada Professora Bebel, em que ela solicita às autoridades de Peruíbe a testagem do novo coronavírus em toda a comunidade indígena do município, foi juntado aos autos da ação civil pública que tem como objetivo apurar a adoção de medidas de prevenção e tratamento aos doentes, bem como os casos suspeitos diante da pandemia.

No dia 15 de junho, a deputada Professora Bebel havia protocolado requerimento no Ministério Público e na Secretaria de Saúde de Peruíbe. Segundo a Prefeitura, 116 pessoas já foram contaminadas no município e 11 vieram a óbito.

No requerimento, a parlamentar demonstra preocupação com o avanço da doença na cidade e pede ao Ministério Público que tome todas as providências necessárias, inclusive o ajuizamento de ação civil pública.

 

"Recebi com satisfação o comunicado de que minha solicitação foi atendida. Não podemos nos calar frente à notícia de que três indígenas de Piaçaguera testaram positivo para a doença. Embora já tenham se recuperado, estou cobrando das autoridades que não abandonem os índios", disse a Professora Bebel.

A deputada ressalta ainda que protocolou um requerimento semelhante na Secretaria Estadual de Saúde a fim de preservar a vida de todas as pessoas que vivem em aldeias no Estado de São Paulo.

"Nosso mandado está envolvido em iniciativas de solidariedade com essas comunidades. É dever do Estado agir com responsabilidade e evitar a proliferação da Covid-19 nos povos indígenas que já vivem em situação de vulnerabilidade em São Paulo", finaliza a deputada.