Casa própria para servidores do Estado

Os apartamentos possuem dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço

Comentar
Compartilhar
02 MAR 201320h45

O Governo do Estado estuda ampliar para a Baixada Santista o Programa Habitacional de Integração (PHAI) destinado a servidores públicos estaduais que estão na ativa. De acordo com a Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento, o Governo deverá anunciar o projeto para a Baixada no segundo semestre, mas ainda “está mapeando as regiões do Estado”.

O projeto piloto da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo(CDHU) iniciou em abril, com 721 apartamentos no bairro de Sacomã, na Capital paulista. De acordo com o presidente da Nossa Caixa, Milton Luiz de Melo Santos, esse programa visa facilitar a compra da casa própria próximo ao local de trabalho dos servidores.

Os apartamentos possuem dois dormitórios, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. para a aquisição, o servidor poderá utilizar recursos do FGTS, da poupança ou financiar 100% do valor do imóvel, pelo banco Nossa Caixa. O valor de cada unidade varia entre R$ 47,3 mil e R$ 53,1 mil, que podem ser financiados num período de 20 anos, com taxa de juros de 6% ao ano para os mutuários. As prestações são fixas com desconto em folha de pagamento.

O presidente do banco explica que a taxa é de 8,5% e que o Estado subsidia o restante da prestação do imóvel. “Cada mutuário paga uma prestação média em torno de R$ 430”, calculou Santos.

PHAI

O PHAI é um programa do Governo do Estado realizado por meio de parceria entre as secretarias da Habitação, de Gestão Pública e o Banco Nossa Caixa. Beneficiará servidores como, por exemplo, policiais civis e militares, professores e profissionais da saúde, além de outras categorias que trabalham para o Estado. Levantamentos da Secretaria de Gestão indicam que pelo menos 75% do total de servidores ativos são das áreas de Segurança Pública, Saúde e Educação.

Nas próximas etapas, o programa poderá ser estendido a outros segmentos da sociedade. Os critérios para a inscrição são: ter família constituída, não possuir casa própria ou financiamento de imóvel, ser servidor público estadual ativo, trabalhar na Região Metropolitana correspondente, ter renda familiar de até R$ 3.800 (dez salários mínimos) e não ter sido atendido anteriormente pela CDHU. Os inscritos passarão por um sorteio eletrônico, com auditoria independente, em local e data a serem divulgadas no site da companhia.