CAMPANHA DE 1 A 11

Carrinhos elétricos são utilizados na travessia da Ponte dos Barreiros

Veículos foram disponibilizados para travessia de pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, grávidas, crianças e idosos

Comentar
Compartilhar
19 FEV 2020Por Vanessa Pimentel17h02
Dois carrinhos elétricos funcionam das 7h às 13h, e os outros dois, das 13h às 19hFoto: Divulgação/PMSV

A prefeitura de São Vicente, por meio da Secretaria de Trânsito e Transportes (Setrans), disponibilizou ontem (19), na Ponte dos Barreiros, quatro carrinhos elétricos para auxiliar na travessia, principalmente, de grávidas, crianças, idosos e pessoas com mobilidade reduzida.

O contrato dos equipamentos é de seis meses e custou pouco mais de R$ 112 mil - recurso proveniente do tesouro municipal. O valor está de acordo com o mercado, segundo a prefeitura.

Após a liberação dos carrinhos elétricos, que são semelhantes aos carrinhos usados em campos de golfe, munícipes passaram a solicitar a possibilidade de liberação de motocicletas, que de acordo com eles seriam mais leves do que esse tipo de veículo.

Porém, a vice-prefeita Maria de Lourdes de Oliveira ressaltou, por meio da Secretaria de Assuntos Jurídicos (Sejur), que a Administração tem estudado outros meios de transporte, mas por enquanto, a passagem de veículos automotivos na Ponte dos Barreiros está proibida por medida judicial.

"O carrinho tem peso leve, e são dois equipamentos apenas por período. O Jurídico está buscando alternativas para levar aos promotores, como a viabilidade da passagem de motos, mas essa questão não depende da Prefeitura", disse.

Dois carrinhos elétricos funcionam das 7h às 13h, e os outros dois, das 13h às 19h. Cada veículo transporta até seis pessoas, contando com o motorista. O serviço é diário, gratuito e soma-se às carrocelas, que seguem realizando a travessia e foram contratadas pela Otrantur.

Lurdinha destacou que as ações adotadas para minimizar os impactos da interdição da ponte são frutos da participação da comunidade, em conjunto com o Comitê de Gestão Integrado, que atua no antigo prédio da Etecri, em frente à ponte.

"Temos uma ouvidoria na Etecri, que funciona de segunda a sábado, das 8h às 17h, onde recebemos reclamações e sugestões. A partir delas e do que verificamos dia a dia no local, adotamos e melhoramos as ações. Não estamos parados", afirmou.

Reforma

A Prefeitura encaminhou à Caixa Econômica Federal (CEF), no último dia 7, os documentos relativos ao projeto executivo para a reforma emergencial da Ponte dos Barreiros.

Agora, aguarda o término da análise dos documentos, por parte da CEF, para iniciar o processo de licitação, que definirá a empresa executora do projeto.

Conforme o orçamento, a reforma emergencial custará cerca de R$ 6 milhões.