Banner gripe

Canil Municipal de Guarujá recebe 200 cadastros para castração de animais

Apesar do agendamento mensal, a medida de prevenção ainda sofre preconceito, resultando em maus tratos e abandono

Comentar
Compartilhar
10 FEV 201516h48

Nesta terça-feira (10) o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Guarujá, localizado na Rua Maria Lídia Rego Lima, 301, no Jardim Conceiçãozinha, realizou 200 agendamentos para castração de cães e gatos. O cadastro gratuito acontece mensalmente e visa prevenir a procriação em potencial dos animais.

De acordo com o veterinário do CCZ, Ramiro Martins Dias, a castração é benéfica tanto para o dono do animal quanto para o próprio bichinho. “Uma gata, por exemplo, tem em média seis filhotes, por parto. Supondo que três sejam fêmeas, a procriação aumenta geometricamente. É uma matemática que só pode ser solucionada a partir da castração”, explicou Dias.

O preço de uma castração particular de baixo custo gira em torno de R$100. Já a cirurgia de conveniência custa, em média, R$300. No Centro de Controle de Zoonoses, a castração gratuita é feita com qualidade desde a aplicação da anestesia à conclusão do processo. O veterinário Ramiro Martins Dias trabalha há 15 anos no local e assegura o bom serviço: “É uma cirurgia que fazemos todos os dias. E as pessoas voltam para trazer seus novos animais e indicam para vizinhos por confiar em nosso trabalho”.

Apesar do agendamento mensal, a medida de prevenção ainda sofre preconceito, resultando em maus tratos e abandono (Foto: Pedro Rezende/PMG)

Dias conta que nesta semana, em apenas um dia, o Centro abrigou 25 animais abandonados. “Destes, quantos serão adotados? O grande problema parte das pessoas que não aprovam ou não tomam a iniciativa de fazer o cadastro para castração. Ai seus animais procriam e muitas vezes essas pessoas ‘se livram’ do animal, abandonando na rua”. Ainda segundo ele, existem casos de pessoas que não adotam animais castrados, devido à religião, ou até mesmo pela cultura do homem que prefere não castrar o macho para preservar a virilidade. “Muitas vezes a mulher apoia a castração, mas o marido é contra porque gosta da valentia do animal. E posteriormente, o bicho chega ao Centro com ferimentos por causa de brigas com outros machos. É uma realidade que pensamos que não existe, mas, está aí”, destacou Dias.

Pessoas que acordam às seis da manhã para garantir a castração de seu bichinho, como a advogada Simone Cosme, colaboram para a qualidade de vida do animal e para a prevenção do abandono. “Vim aqui alguns dias atrás, coloquei o chip e vacinei porque acho esse tipo de serviço muito importante. Agora está mais fácil porque no dia do cadastro, o Centro já anuncia a data disponível para o próximo agendamento, e virei novamente agendar para meu gato, pois tenho essa consciência de prevenção”, afirmou Simone.

Outro bom exemplo é o carpinteiro, Ismael Moreira Xavier, que participa pela primeira vez do cadastro. Para Xavier é bom que o canil municipal que faça a castração gratuita. “Porque tem muito cachorro abandonado na cidade. E agora com o cadastro mensal o processo está melhor e bem mais rápido”.

Colunas

Contraponto