Cancelas para controle de acesso de veículos à praia começam a funcionar na próxima semana

Estarão liberados ambulantes e veículos de serviço. As cancelas funcionarão por meio de TAGs ligadas por antenas em cada acesso

Comentar
Compartilhar
22 MAI 2019Por Da Reportagem17h35
Do próximo dia 30 até o final de junho estarão em funcionamento as 14 cancelas instaladas na orlaFoto: Divulgação/PMS

Do próximo dia 30 até o final de junho estarão em funcionamento as 14 cancelas instaladas na orla para controle do acesso de veículos autorizados à faixa de areia da praia. Estarão liberados ambulantes e veículos de serviço como secretarias de Serviços Públicos (Seserp), Segurança (Seseg), Finanças (Sefin) e Esportes (Semes), Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), polícias, Terracom, Prodesan, Sabesp, Cetesb, entre outros prestadores de serviços e contratados.

Para a completa eficácia da operação, agentes da CET-Santos e guardas municipais participam de treinamento até esta sexta-feira (24), no Paço Municipal, a cargo do Departamento de Tecnologia da Informação e Comunicações (Detic), ligado à Secretaria de Gestão (Seges). São cerca de 40 funcionários, entre agentes da CET e GMs que vão operar o software no Sistema Informatizado de Monitoramento (SIM), no Paço, e no Centro de Controle Operacional (CCO) da CET.

As cancelas funcionarão por meio de TAGs ligadas por antenas em cada acesso, parecidas com o modelo Sem Parar (válido para pedágios de rodovias). Os veículos foram cadastrados e receberão uma TAG, que funcionará por meio de ondas de rádio. "As antenas farão a leitura da TAG. Se estiver no software cadastrado como veículo autorizado, o carro passa pela cancela, que abrirá e fechará automaticamente", explicou André Reis, responsável técnico do Detic, durante a capacitação sobre o software de operação, que fará a liberação das cancelas e receberá os alertas dos dispositivos instalados em cada local.

Os acessos contam com interfone para situações pontuais como TAG que tenha sido perdida ou danificada, problema técnico na cancela ou, ainda, para algum serviço esporádico como os da Secretaria de Cultura. "Será uma chamada normal de telefone que tocará na mesa dos operadores. Eles atenderão e permitirão ou não a entrada", acrescenta Reis, ressaltando que a medida visa impedir o acesso de veículos particulares. "Ocorre muito abuso, principalmente em época de temporada", diz.

Organização e conscientização

Nesta quarta-feira (22), umas das agentes da CET que participou do treinamento foi Elza do Carmo Vieira, há 22 anos na função. "Nós, que trabalhamos direto na rua, vemos que há situações em que as pessoas param com seus veículos nos locais sem se atentar. Com essa organização haverá mais conscientização da população".

O guarda municipal Júlio Santos, há 29 anos na GM, é outro que atuará na operação dentro do SIM. "Será útil para a população, para o acesso de veículos e de ambulantes". As 14 cancelas ao longo da orla foram adquiridas com verbas da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem), ao custo de R$ 937.800,00.