X
Cotidiano

Caminhada incentiva conhecimento do autismo em Santos

A concentração terá início às 8h30, na Praça Luiz La Scala, atrás do Aquário, com roda de capoeira, exibição de muay thai e diversas apresentações

A caminhada sairá por volta das 9h30 / Divulgação/PMS

A conscientização da população sobre a inclusão social das pessoas com transtorno do espectro autista (TEA) será promovida neste domingo (8) na 4ª Caminhada Azul, realizada pelo Grupo Acolhe Autismo com apoio da Prefeitura. A concentração terá início às 8h30, na Praça Luiz La Scala, atrás do Aquário (Ponta da Praia), com roda de capoeira, exibição de muay thai e apresentações das Princesas Caiçaras e dos músicos Alexandre Cortez e Rita Gottardi.

A caminhada sairá por volta das 9h30 e ocorrerá por 500 metros da avenida da orla em direção ao Ferry Boat. "Qualquer pessoa pode participar e só pedimos que se vá vestido de azul, cor que simboliza o autismo. Distribuiremos panfletos com o objetivo de divulgar informações e lutar contra o preconceito", explica a presidente do Grupo Acolhe Autismo, Ana Lúcia Felix. No ano passado, cerca de 400 pessoas participaram do evento.

Tráfego

A CET-Santos manterá agente acompanhando o percurso e promoverá interdição momentânea nas avenidas Samuel Augusto Leão de Moura, Bartolomeu de Gusmão e Saldanha da Gama (todas no sentido José Menino/Ponta da Praia), entre a Avenida Coronel Joaquim Montenegro (canal 6) e a Rua Francisco Hayden. A opção de rota para os motoristas será pelas avenidas Epitácio Pessoa e Rei Alberto I.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

ELEIÇÕES 2022

Janones critica 'arrogância' de discurso da esquerda no Twitter

'Arrogância de setores da elite intelectual não lhes permite compreender que João Gomes forma mais opinião que Chico e Caetano', escreveu

Meio Ambiente

Desmatamento na Amazônia caminha para se tornar incontrolável, dizem especialistas

Com os níveis atuais de desmatamento registrados -com diversos meses com destruição amazônica acima dos 1.000 km²-, os compromissos climáticos internacionais do Brasil podem ficar em xeque, especialmente a redução da emissão de gases-estufa

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software