Câmara vai pedir recursos a Doria para reforma do Palácio da Polícia

Casa já pediu reunião com governador e vai encaminhar ofício para recursos no orçamento de 2020

Comentar
Compartilhar
12 JUN 2019Por Gilmar Alves Jr.21h06
Vereadores chegam ao Palácio da Polícia para reunião na tarde desta quarta-feira (12)Foto: Nair Bueno/DL

O presidente da Câmara de Vereadores de Santos, Rui De Rosis (MDB), anunciou nesta quarta-feira (12) que encaminhou um email para o governador João Doria (PSDB) pedindo uma reunião para tratar da reforma do Palácio da Polícia, que ainda não tem previsão para ser iniciada pela ausência de recursos de pelo menos R$ 28 milhões. 

De Rosis participou, com uma comitiva de vereadores, de uma reunião com o diretor da Polícia Civil na Baixada Santista e Vale do Ribeira, Manoel Gatto Neto, na tarde desta quarta. Ao longo do encontro, o chefe do Legislativo santista também anunciou que vai encaminhar um ofício a Doria para garantir os recursos no orçamento de 2020 e, se possível, um remanejamento para ainda este ano para que a reforma seja iniciada o mais rápido possível. 

Procurada pelo Diário, a assessoria do governador afirmou, no início da noite desta quarta, que ainda não recebeu o email em nome do presidente da Câmara. 

O projeto da reforma, que custou R$ 1,2 milhão, está pronto, foi aprovado pela Prefeitura, pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Santos (Condepasa) e pelo Corpo de Bombeiros, conforme o diretor regional da Polícia Civil. 

"Se eu tivesse o recurso, amanhã eu lançava o edital para execução das obras", afirmou, aos vereadores, Gatto Neto. Os meios de comunicação puderam acompanhar toda a reunião. 

"É de conhecimento do governador João Doria esse nosso pleito, mas ele está limitado ao orçamento previsto pelo governo anterior", disse o delegado. 

A solução, na avaliação de Gatto Neto, seria um remanejamento de verbas ou uma parceria com o governo 
federal. 

"A gente tem se limitado a fazer pequenas correções emergenciais no prédio. Os reboques que estavam com mais risco de cair já foram retirados. Problemas na parte elétrica a gente conseguiu contratar e resolver. Outros problemas a gente tem resolvido na medida do possível. Mas eu não posso fracionar uma obra grande sob pena de crime de responsabilidade", explicou o delegado aos vereadores. 

De Rosis disse aos jornalistas, ao fim do encontro, que ficou muito satisfeito. "Nós trouxemos as nossas reivindicações. Elas foram bem assimiladas por ele (Manoel Gatto Neto). Eu acho que com isso a Câmara Municipal faz o seu papel, a sua representatividade da sociedade". 

Além do presidente da Câmara, os seguintes vereadores participaram da reunião: Audrey Kleys (PROG), Augusto Duarte (PSDB), Braz Antunes (PSD), Benedito Furtado (PSB), Fabrício Cardoso (PSB), Geonísio Pereira, Boquinha (PSDB), Jorge Vieira, Carabina (PSDB), Lincoln Reis (PL), Manoel Constantino (PSDB), Roberto Teixeira (PSDB), Sadao Nakai (PSDB) e Sergio Santana (PL).

SSP

Em nota enviada nesta noite à Reportagem , a Secretaria da Segurança Pública (SSP) afirmou que "está em estudo na Polícia Civil o que será feito no imóvel". 

"A Polícia Civil iniciou um programa para reformas e modernização das delegacias paulistas. Técnicos do Departamento de Administração e Planejamento da instituição estão atualizando os projetos já existentes e realizando vistorias técnicas nos distritos policiais para apontar as melhorias necessárias", disse a pasta. 

Colunas

Contraponto