Câmara de São Vicente aprova comissão para tratar de moradores de rua

O Município está reformulando os serviços de atendimento às pessoas em situação de rua, com a ampliação e capacitação da equipe e criação de albergue noturno

Comentar
Compartilhar
02 MAR 2021Por Carlos Ratton07h00
Segundo Cezarolli, o problema cresce cada vez mais no município vicentinoSegundo Cezarolli, o problema cresce cada vez mais no município vicentinoFoto: Rodrigo Montaldi/Arquivo DL

A Câmara de São Vicente aprovou, em sua última sessão ordinária, o Projeto de Resolução do Vereador Jefferson Cezarolli (PODE), que prevê início a uma Comissão Especial de Vereadores (CEV) para estudo e apresentação de propostas para minimizar a situação de dezenas de pessoas em situação de rua no Município.

Segundo Cezarolli, o problema cresce cada vez mais no município vicentino e é necessária a atuação do legislativo para melhoria da condição humana desta parcela vulnerável da sociedade, bem como soluções para os problemas sociais, ambientais e econômicos acarretados pela realidade de pobreza em que as pessoas se encontram.

O parlamentar cita que políticas públicas focadas em populações em situação de rua vêm ganhando cada vez mais espaço na atuação e estudos da Administração Pública, universidades e terceiro setor.

Com isso, entende-se que o estabelecimento de uma comissão especial de vereadores, para estudar a realidade de São Vicente, referências de boas práticas, articulação entre os entes federativos, recursos e parcerias "são de suma importância para buscar soluções para este problema, de forma humanizada e
consistente.

"Vamos buscar alternativas e políticas públicas e uma conexão entre o poder executivo, legislativo, ONGs, pessoas em situação de rua e profissionais da área, a fim de trazer resolução e mudar esse cenário", acredita Cezarolli.

REALIDADE.

A Prefeitura de São Vicente informou ontem, por meio da Secretaria de Assistência Soclal (Seas), que no mês de fevereiro contabilizou 135 pessoas em situação de rua no Município e uma média de 150 trecheiros (pessoas que utilizam a Cidade por um curto período, muitas vezes apenas uma pernoite).

O Município está reformulando os serviços de atendimento às pessoas em situação de rua, com a ampliação e capacitação da equipe e criação de albergue noturno.

Sistematicamente, as equipes de abordagem social são direcionadas aos pontos de maior incidência de pessoas em situação de rua, ofertando os serviços
socioassistenciais.

A Administração garante que as ações, como as da força-tarefa, com a participação de vários setores municipais em conjunto, assim como a ampliação das vagas em abrigos, estão apresentando resultados satisfatórios.