Câmara de Guarujá quer explicação sobre tarifa a R$ 4,30

Quem usar o cartão-transporte pagará R$ 4,20 (o reajuste passa a ser de R$ 1,00). Numa conta simples, o usuário que pega quatro conduções vai ter que desembolsar de R$ 4,00 a R$ 4,40 a mais por dia

Comentar
Compartilhar
08 MAI 2019Por Carlos Ratton07h20
A nova concessionária começou a operar em fevereiro, dois meses antes do previsto, a pedido da Prefeitura de GuarujáFoto: Nair Bueno/DL

O presidente da Câmara de Guarujá, vereador Edilson Dias (PT), apresentou requerimento ontem solicitando à Administração cópia do contrato da City Transportes Urbano para tentar saber se há, ou não, necessidade de aumento da passagem anunciado para a próxima sexta-feira (10), quando as tarifa do transporte público passará de R$ 3,20 para R$ 4,30 - R$ 1,10 de reajuste real e o maior dos últimos anos no Município (34,38% mais caro).

Quem usar o cartão-transporte pagará R$ 4,20 (o reajuste passa a ser de R$ 1,00). Numa conta simples, o usuário que pega quatro conduções vai ter que desembolsar de R$ 4,00 a R$ 4,40 a mais por dia. Além disso, a Prefeitura paga R$ 5 milhões por mês de subsídio à City Transporte Urbano - 10 vezes mais o que pagava à Translitoral - antiga concessionária, que recebia R$ 400 mil a cada 30 dias.

Fevereiro

A City assumiu em 1º de fevereiro último de forma gradativa. A frota antiga era composta por 147 veículos e a atual é de 125 ônibus, porém, mais equipados - ar-condicionado e Wi-Fi. Os problemas iniciais de espera nos pontos de ônibus foram praticamente solucionados e a empresa está tentado resolver o de atendimento a usuários em bairros mais distantes, como o que residem na região conhecida como Rabo do Dragão.

Prefeitura

A Prefeitura já informou que o valor pago à empresa, de remuneração do serviço, será de R$ 3,69. O excedente (R$ 0,60) é utilizado para custear as gratuidades de idosos, pessoas com deficiência e estudantes que utilizam o Passe Livre. Hoje, dos mais de dois milhões de passageiros que utilizam o transporte público mensalmente na Cidade, apenas 1,3 milhão paga 100% da tarifa. Mais da metade disso, 677 mil, utiliza o transporte gratuitamente - valor que é custeado pela Administração. Só idosos são mais de 475 mil passageiros/mês, além de mais de 40 mil pessoas com deficiência. Outros 138 mil passageiros pagam meia passagem.

Aumento

Segundo explica ainda a Prefeitura, ao longo dos últimos anos houve aumento no preço de todos os elementos que norteiam os reajustes no transporte público no País, como combustíveis, insumos, salários dos colaboradores e inclusive das demandas sociais, com pessoas passando a depender mais do Poder Público. (Carlos Ratton)

 

Colunas

Contraponto