Cães da GCM de Santos recebem cuidados especiais para o patrulhamento

Animais são adestrados em guarda e proteção, detecção de entorpecentes, aprendem a deitar e rolar e a correr por circuitos com obstáculos

Comentar
Compartilhar
24 JUL 2021Por Da Reportagem14h10
Pastor alemão salta e passa no meio de uma rodaPastor alemão salta e passa no meio de uma rodaFoto: DIVULGAÇÃO/PMS

Areta e Argos usam botas para não se machucarem ao andar sobre entulhos, vão a sessões de massoterapia e fazem caminhadas para manter o psicológico saudável. A rotina de aparência tranquila tem como personagens os dois cães pertencentes ao canil da Guarda Civil Municipal de Santos, ativo há 15 anos, que participam de ações de patrulhamento da corporação.

A fêmea, uma pastora-alemã-cinza de quatro anos, e o macho, pastor-belga-malinois de dois anos e meio, têm também como companheiro o ‘menino’ Logan, que com apenas dez meses, ainda não sai para atividades de rua. 

Para acompanhar o patrulhamento pela Cidade, os animais são adestrados em guarda e proteção, detecção de entorpecentes, aprendem a deitar e rolar (show dog) e a correr por circuitos com obstáculos (agility). São habilidades necessárias para a atuação de guarda e para socialização, já que os K9 são levados para apresentações em escolas e instituições da Cidade.  

“Eles ajudam no patrulhamento, nas abordagens e nos acompanham em missões específicas. Por exemplo, no patrulhamento e abordagem, podemos deixá-los de guarda de algum suspeito, para que ele não fuja, e eles também farejam objetos. Missões específicas são as apresentações, sessões de cinoterapia (terapia com cães) ou quando a Polícia Militar solicita apoio em alguma busca de entorpecentes”, explica o guarda Nilson Andrade, um dos responsáveis pelo treinamento dos cães.

No canil onde ‘moram’, um prédio na Avenida Francisco Manoel (Jabaquara) há todo cuidado com alimentação e higiene, tanto dos boxes onde dormem, quanto do próprio animal, o que inclui a escovação do pelo, cuidados com os dentes e patas, massoterapia e passeios.

"Tomamos muito cuidado com eles. Quando vamos a algum lugar onde haja entulho, colocamos botas protetoras para que eles não cortem ou furem as patas. Também cuidamos para que não andem no asfalto em dias de sol para não se queimarem. Não podemos arriscar perdê-los por coisas tão pequenas", explica Nilson.

Os cães são provenientes de doações e, para o trabalho na segurança, são escolhidos os pastores. Entre as variedades podem se destacar o pastor-alemão e o pastor-belga-malinois, raças que se adequam melhor à função pela inteligência e agilidade. Os animais podem trabalhar até os oito anos de idade e, quando se aposentam, são adotados pelo próprio condutor, por outros guardas ou por pessoas de fora.

ESTRUTURA
O Canil da Guarda Municipal foi inaugurado em 2006, no Jardim Botânico Chico Mendes. Em 2013, mudou para uma nova unidade construída na Avenida Francisco Manoel (Jabaquara). O local conta com sete boxes de 11m² e área externa para treinamento. Em 2018, ganhou uma arquibancada no campo de adestramento para exibição de habilidades a escolas e outros grupos. Em razão da pandemia, as demonstrações estão suspensas.