Cachorro reabilitado pela Zoonoses de Peruíbe tem a face refeita

História de Tampinha é de verdadeira superação. O cão foi recebido pela equipe do CCZ sem praticamente sua face e muito desidratado

Comentar
Compartilhar
22 ABR 201412h18

“Viver às moscas”. Essa expressão conhecida para dizer que algo está ‘descartado’ ou ao ‘relento’ era a situação de um cachorro de cerca de 3 anos de idade abandonado pelo dono e levado há um mês até o Centro de Controle de Zoonoses de Peruíbe (CCZ). Tampinha, como é chamado, foi recebido pela equipe do CCZ sem praticamente sua face e muito desidratado.

“Somente seus olhos e boca não estavam machucados, o restante do seu rostinho foi ferido por moscas. A face dele estava em carne viva, ou seja, ele havia perdido a epiderme”, explicou o veterinário Raphael Barreirros Lapa Louza.

A situação de Tampinha era realmente difícil, mesmo assim a equipe do CCZ optou por tentar salvar a vida do animal. Deu certo e ele teve sua face reconstruída. Claro, não faltaram cuidados e mimos de toda a equipe.

“O carinho que temos aqui é uma das coisas mais importantes. Não trabalhamos com números, mas com vidas”, destacou o veterinário.

“Somente seus olhos e boca não estavam machucados, o restante do seu rostinho foi ferido por moscas

Louza reconhece que o animal também teve muita força de vontade para viver e inclusive, após todos os procedimentos cirúrgicos e cuidados da equipe para não haver nova infecção, a massa muscular inclusive aumentou. “Uma verdadeira vitória”, comenta.

Ainda em recuperação, Tampinha deve receber ‘alta’ nas próximas semanas. O próximo passo será a busca por um novo lar. Isso quer dizer que após todo tratamento, Tampinha estará apto para ser adotado.