‘Busco dar uma nova cara para a política de Peruíbe’

Rodrigo Silva fala sobre a expectativa para o biênio 2017/2018 à frente do Legislativo

Comentar
Compartilhar
13 FEV 2017Por Diário do Litoral10h30
Rodrigo Silva fala sobre a expectativa para o biênio 2017/2018 à frente do LegislativoRodrigo Silva fala sobre a expectativa para o biênio 2017/2018 à frente do LegislativoFoto: Matheus Tagé/DL

Após passar pela suplência na última legislatura, Rodrigo Silva (PSDB) foi eleito pela primeira vez como vereador em Peruíbe para os próximos quatro anos. Além disso, logo no primeiro mandato, foi eleito para presidir o Legislativo.

O tucano é o presidente mais novo da Câmara municipal nos últimos 30 anos. Aos 31 anos, ele foi o segundo mais votado no pleito do ano passado, com 1.118 votos, ficando somente atrás da ex-prefeita Milena Bargieri (PSB).

O parlamentar construiu sua carreira em ­torno da cultura e do esporte. À frente do ­Legislativo de Peruíbe, quer transformar a linguagem política e dar uma nova cara a categoria, com maior transparência e próximo à população.

Em entrevista ao Diário do Litoral, Rodrigo Silva fala sobre a expectativa para o biênio 2017/2018 na Câmara de Peruíbe. Confira.

Diário do Litoral - Quais as prioridades da Mesa Diretora para o biênio 2017/2018?
Rodrigo Silva – A nossa postura hoje, que eu vejo que também é de toda política nacional, na cidade de São Paulo, de tornar a política mais acessível a toda a população. Ter transparência, trazer a população para perto do Legislativo, mostrar o nosso trabalho, divulgar. Coisas que não eram feitas antes. Vejo muitas queixas da população, uma indignação grande pela política estar distante deles em relação aos projetos, a transparecer quais são as funções de um vereador. A minha função hoje, como presidente da Mesa, é levar para a população o nosso trabalho. Estar disponível e acessível a todos.

DL – Que ações a Câmara tem tomado no sentido de divulgar os trabalhos para a ­população?
Silva – Estamos divulgando os trabalhos pelo site da Câmara, que foi renovado. Estamos divulgando as ações em conjunto nos bairros. Utilizamos também as redes sociais. Sempre fazemos as transmissões das sessões. A presença do público tem sido bacana desde a primeira sessão. Conseguimos aumentar a participação popular. Após a sessão nós ficamos no plenário conversando com os munícipes, colhendo informações. Estamos divulgando os contatos nas redes sociais. Estamos bem acessíveis.

DL – A Câmara de Peruíbe teve uma renovação de 80% em seu quadro, em comparação a última legislatura. Isso é um sinal de renovação?
Silva – Sim. Foi um resultado que demonstrou que a população não estava gostando da comunicação da política com a sociedade. Renovou muito. Temos 11 vereadores novos. O Oliveira (DEM) foi vereador em quatro mandatos e retornou. Reeleitos nós tivemos três. Foi uma resposta da sociedade querendo mudar um pouco o perfil do vereador, também em torno da comunicação, de ser acessível, de estar na rua. Estamos realizando, com muito afinco, essa presença nas ruas. Estamos disponíveis à população, vamos até os bairros, vemos os problemas e encaminhamos ao Executivo.

DL - Como foi a construção da candidatura à presidência?
Silva – Temos uma mesa multipartidária. São cinco partidos representados. Foi uma candidatura construída com muita transparência. Fui conversando com cada um, consegui o apoio da maioria. A chapa foi unanime. Pela minha comunicação com eles e pela minha trajetória, eu conquistei o apoio de todos.

DL – Em relação as coligações que elegeram o prefeito, a Câmara ficou dividida, principalmente com vereadores que eram da base dos candidatos Alex Matos e Emer. Como o senhor espera que funcione o convívio entre esses diversos lados?
Silva – Eu tenho sentido que estamos todos com o mesmo propósito. Eu, como presidente, tenho tentado manter esse equilíbrio. O vereador está para representar o povo. A campanha ficou para trás. Hoje somos 15 vereadores eleitos e temos que trabalhar pela cidade. É nessa linha. O vereador não tem que vestir a camisa nem de situação e nem de oposição. Ele tem que ser cidade. Tudo aquilo que é bom para o município nós temos feito. Temos feito ações em conjunto. Por exemplo, semana passada realizamos uma visita a Zoonoses. Eu e mais 11 vereadores e o outros três só não estiveram presentes por questão de agenda. Sinto que estão todos engajados. Parabenizo todos os vereadores por esse espírito de trabalhar pelo município independentemente de partido. A nossa causa é o município.

DL - Que ações deve se esperar da Câmara neste momento de crise?
Silva – Estamos revendo os contratos. Existem alguns anseios, por parte dos vereadores, enfim, de assessores. Estamos fazendo um levantamento junto ao Ministério Público e o Tribunal de Contas para saber como conseguimos melhorar o orçamento da Câmara, e também gastando menos.

DL - Como o senhor espera que seja a relação com Executivo?
Silva – Temos mantido uma reunião semanal com o Executivo. Toda a segunda-feira os vereadores vão até o gabinete do prefeito e tomamos um café, conversamos sobre os projetos. Isso é algo que não houve na última sessão. Essa aproximação, o diálogo, tivemos também o reajuste dos servidores. Isso tudo foi em conversa com vereadores, que intermediaram junto aos servidores. Tenho visto a postura do Executivo em manter esse diálogo com o Executivo de forma muito positiva.

DL - O que deverá nortear a pauta política do Legislativo?
Silva – Tenho falado muito com os vereadores que, além do nosso papel de fiscalizar o Executivo, de mostrar aquilo que a cidade está necessitando, temos a oportunidade de trazer investimentos para a cidade, de auxiliar na reconstrução. A cidade herdou uma dívida muito grande, algo em torno de R$ 65 milhões da antiga gestão. Os cofres estão em baixa. Vamos buscar emendas junto aos deputados para reconstruir a cidade na área turística, social, na saúde. E pautar, realmente, essa política para todos. As portas do Legislativo estão abertas para a população para que consigamos unir e reconstruir a cidade como um todo.

DL - O que a população de Peruíbe deve esperar do senhor como presidente da Câmara?
Silva – Transparência. Busco dar uma nova cara para a política de Peruíbe. Sou acessível e quero contar com a população. Que a população passe o olhar de cada um, a necessidade de cada bairro para construir, juntos, a cidade que queremos. E contem sempre comigo para transparecer aquilo que a Casa está fazendo.