BTP deve iniciar fase experimental de operações até o fim do ano

O terminal da Brasil Terminal Portuário, instalado no Cais da Alemoa, vai operar 1,2 milhão de TEUs a partir do primeiro semestre de 2013 e pretende começar a fase experimental com 30 mil contêineres/mês

Comentar
Compartilhar
13 SET 201210h50

Do lixão da Alemoa para um terminal portuário de última geração que vai operar 1,2 milhão de contêineres a partir do primeiro semestre de 2013. As instalações do Terminal da Brasil Terminal Portuário (BTP), no cais da Alemoa, estão bem adiantadas. Com isso, o Porto de Santos não só redesenha sua Margem Direita como navega em direção à sua consolidação como hub port, ou seja, num grande porto concentrador de cargas. Hoje o Porto opera aproximadamente 3,2 milhões de TEUs.

Ontem, foi descarregado o primeiro portêiner de um lote de quatro, do navio Zhen Hua 14, no cais da BTP. Neste primeiro lote constam também outros seis transtêineres. O segundo lote de equipamentos deve ser desembarcado até o final deste mês, segundo o gerente de operações da BTP, Marcelo Machado. Com os equipamentos instalados, a companhia pretende dar início à movimentação experimental de contêineres já no final deste ano.

O presidente da BTP, Henry James Robinson, afirmou que falta apenas o licenciamento ambiental para iniciar a operação experimental. “Será uma movimentação relativamente pequena, para treinamento do nosso pessoal, estimada em 30 mil contêineres/mês”, afirmou Robinson. Ao todo, a BTP comprou oito portêineres e 26 equipamentos RTG para operar 1,2 milhão de contêineres no próximo ano, o que representa entre 60% a 80% da capacidade do terminal.

A BTP está investindo R$ 1,8 bilhão englobando arrendamento e recuperação da área, compra de equipamentos modernos, simulador para treinamento de mão de obra e qualificação profissional para a função de operador de portêiner e transtêiner. O curso será realizado em parceria com o Centro de Excelência Portuária do Porto de Santos (Cenep-Santos) e Órgão Gestor de Mão de Obra (Ogmo). Ao todo serão habilitados 300 trabalhadores portuários avulsos, sendo que 140 serão contratados pela BTP.

“A BTP é muito importante para o Porto de Santos. Nós temos, a nível de mercado nacional, uma demanda reprimida muito grande. Então há necessidade de que se tenha portos e terminais que atendam essa demanda”, afirmou o diretor presidente do Sindicato dos Operadores Portuários (Sopesp), José dos Santos Martins . 

“Hoje, o porto movimenta 3,2 milhões TEUs por ano, e com um terminal desse funcionando a pleno, que vai movimentar aproximadamente 2 milhões de TEUs, a gente nota uma folga, que tudo isso vai facilitar a movimentação de contêineres através do porto”, disse o diretor-presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Renato Barco.