Brasileiros ficam indignados com arrecadação de R$ 600 bi em impostos

Há um ditado que diz que duas coisas são certas: morte e impostos

Comentar
Compartilhar
01 JUN 201112h23

Nada é tão certo e matemático quanto as cifras computadas pelo Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo(ACSP), nesta semana. Em cinco meses, o Brasil arrecadou R$ 600 bilhões em impostos. A arrecadação mostrada no placar do Impostômetro, no último dia 31, refere-se a tributos federais, estaduais e municipais. São impostos, contribuições obrigatórias e taxas, pagos pelos contribuintes desde o começo do ano.

Este ano, a marca chegou aos R$ 600 bilhões 33 dias antes do que em 2010. Em 2009, esse patamar foi atingido em 28 de julho e, em 2008, no dia 29 de julho. O Impostômetro foi inaugurado em 2005 e o recolhimento de impostos pode ser acompanhado no site www.impostometro.com.br, de acordo com estados e cidades.

Já o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), divulgou um dado que em nada agradou os brasileiros. Segundo o IBTP, o contribuinte trabalhou 149 dias somente para pagar seus impostos, taxas e contribuições com os governos federal, estadual e municipal.

Desse total, 54 dias serão usados para pagar tributos sobre a renda, 11 para tributos sobre o patrimônio e 84 para tributos sobre o consumo. Diante da exorbitância da marca alcançada, o DL foi às ruas ouvir os contribuintes.