Bolsonaro volta a ignorar pandemia e provoca mais uma aglomeração em Praia Grande

Presidente voltou a ignorar as recomendações sanitárias na pandemia da Covid-19 e teve contato com banhistas no Canto do Forte

Comentar
Compartilhar
04 JAN 2021Por Folhapress13h43
Bolsonaro voltou a ter contato com banhistas, assim como havia feito na última sexta-feira (1)Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro repetiu nesta segunda-feira (4), no último dia de sua viagem à Baixada Santista, um tour na praia do Canto do Forte, em Praia Grande. Sem máscara, voltou a ignorar as recomendações sanitárias na pandemia da Covid-19 e teve contato com banhistas aglomerados, boa parte dos quais também sem os acessórios recomendados contra a doença.

Bolsonaro posou para fotos, segurou cães de banhistas e ficou no local por cerca de meia hora. Usou uma lancha para se deslocar de Guarujá, onde estava hospedado em uma base militar, até a praia, que fica junto à Fortaleza de Itaipu.

Assim como ocorreu na sexta-feira (1º) no mesmo local, Bolsonaro voltou a provocar aglomeração, mas a praia tinha menos banhistas do que no primeiro dia do ano, quando ele saltou do barco, mergulhou no mar e, ainda dentro da água, foi cercado por uma multidão sem máscara.

No sábado (2), o ex-premiê da Itália e atual comissário de Economia da União Europeia, Paolo Gentiloni, criticou o que chamou de "imagens vergonhosas do Brasil" em meio à pandemia de coronavírus.

Embora não tenha deixado claro a que imagens estava se referindo, o comentário de Gentiloni ocorreu em um momento em que o país registrou aglomerações durante as festividades de fim de ano, incluindo as provocadas por Bolsonaro no litoral sul de São Paulo.

"Tenho visto imagens vergonhosas do Brasil. Média da última semana: 36 mil casos e 700 vítimas por dia pela pandemia", escreveu o italiano em uma publicação no Twitter.