Bloqueios nos acessos a Guarujá impediram mais de 700 veículos no fim de semana

Motoristas que se recusarem a retornar estão sujeitos a terem seus veículos removidos ao pátio municipal, podendo ser conduzidos ao Distrito Policial

Comentar
Compartilhar
31 MAR 2020Por Da Reportagem17h05
O acesso é livre para os veículos cujos ocupantes comprovem domicílio no MunicípioFoto: Divulgação/PMG

Fim de semana de sol, mas nada de praia enquanto durar a quarentena. Em Guarujá, 727 veículos foram barrados e tiveram que retornar à cidade de origem, só neste final de semana, sem contar outros 1.534 ao longo da última semana. Desde o dia 22, a Prefeitura realiza bloqueios em diversos pontos da Cidade. A medida segue o decreto municipal 13.569, que oficializou o estado de calamidade pública no Município, decorrente das medidas de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Ao todo, são sete bloqueios que funcionam 24 horas e estão montados tanto na entrada da cidade quanto nas saídas das travessias de balsas de Santos e Bertioga.

"Nos preocupamos com a situação econômica do Município, assim como de todo o País, mas este é o momento de cuidar da vida dos nossos munícipes", enfatizou o secretário de Defesa e Convivência Social, Luiz Cláudio Venâncio Alves.

Bloqueios

As vias totalmente bloqueadas com estruturas de concreto (New Jersey), sem acesso à Cidade são: Rua Waldomiro Macário (acesso aos prédios da Dow Química), a Via Fassina (acesso ao Porto de Granéis e demais empresas) e a Avenida Tancredo Neves (acesso aos bairros Cachoeira, Vila Edna e Vila Zilda).

Existem, ainda, as barreiras sanitárias de fiscalização, únicos acessos à Cidade. Elas estão na Avenida Aurea Gonzáles Conde (acesso à Vicente de Carvalho), Rua Idalino Pines (Rua do Adubo – acesso exclusivo de caminhões e ao Porto), Avenida Vereador Lydio Martins Correa (acesso à Enseada e Morrinhos) e Avenida Santos Dumont (na entrada principal da Cidade). Há, também, barreiras do tipo nas saídas das travessias de balsas de Santos e Bertioga.

Todos os bloqueios ficam nos arredores da Rodovia Cônego Domenico Rangoni. Como alternativas de trânsito para quem presta serviços essenciais, o motorista que quiser acessar os bairros Morrinhos, Vila Edna, Vila Zilda e Cachoeira, poderão utilizar a Avenida da Saudade e a Avenida Lydio Martins Correa, por meio do túnel. Já para os bairros do Distrito de Vicente de Carvalho, o acesso poderá ser feito pela Avenida Santos Dumont.

Os motoristas que se recusarem a retornar estão sujeitos a terem seus veículos removidos ao pátio municipal, podendo ser conduzidos ao Distrito Policial para lavratura de boletim de ocorrência, por violações ao Código Penal e ao Código de Trânsito Brasileiro.

A fiscalização está a cargo de mais de 100 agentes da Guarda Civil Municipal e das diretorias municipais de Trânsito, de Transporte e de Força Tarefa, todos órgãos ligados à Secretaria Municipal de Defesa e Convivência Social (Sedecon).

Acesso Livre

O acesso é livre para os veículos cujos ocupantes comprovem domicílio no Município, e não apenas ocupação eventual. Também têm passagem liberada os veículos em comprovado exercício de atividades essenciais como segurança pública, saúde e assistência social, além dos motoristas que estiverem transportando alimentos, combustíveis e outros insumos indispensáveis para o abastecimento local.

Todas essas medidas seguem as diretrizes das decisões metropolitanas, tomadas pelos nove prefeitos da Baixada Santista em reunião por videoconferência, realizada no último dia 21, do Governo do Estado, além de recomendações do Ministério Público de São Paulo.