Bebês de Guarujá podem não ter vacina contra o sarampo

Prefeitura esperava 400 doses do Estado, mas só recebeu a metade

Comentar
Compartilhar
18 OUT 2019Por LG Rodrigues07h00
De acordo com autoridades, Guarujá recebeu 200 doses, mas necessita de ao menos 400 para garantir o atendimento das criançasFoto: Divulgação

A cidade de Guarujá não recebeu doses de vacina contra o sarampo suficientes para atender toda a demanda de bebês que têm entre seis e nove meses de vida e precisam se imunizar contra a doença. De acordo com autoridades do município, Guarujá recebeu 200 doses, mas necessita de ao menos 400 para garantir o atendimento das crianças.

Devido às poucas doses, o município de Guarujá foi obrigado a alterar o cronograma do Dia 'D' de vacinação que ocorrerá amanhã (19). Com isso, os bebês de seis meses a nove meses terão um total de nove postos à disposição para receber a vacina. Já as crianças até 5 anos contarão com 21 unidades de saúde.

Em entrevista concedida ao Diário do Litoral, o diretor de vigilância em saúde de Guarujá, Marco Antonio Chagas da Conceição, afirmou que não tratou o ocorrido como um corte realizado pelo Governo do Estado, mas destaca que a falta de doses obrigou a prefeitura a repensar o cronograma para o Dia 'D'.

"Eu não uso a palavra corte, na verdade, eles enviaram uma quantidade menor do que aquela que a gente esperava. A gente tinha uma projeção de mais ou menos 400 crianças na idade de seis meses a nove meses e que precisam tomar a vacina contra o sarampo. Eles não avisaram com antecedência quanto enviariam, só soubemos quando fomos buscar e aí descobrimos que só haviam 200", explica Marco.

O diretor segue explicando que terá mais de 20 postos funcionando durante o dia 19 e afirma que não tem dúvidas de que irão faltar vacinas porque Guarujá só poderia enviar um frasco contendo a vacina para cada uma das unidades de saúde.

"É óbvio que vai falar então decidimos fazer uma redistribuição e por isso só nove unidades aplicarão vacinas para essa faixa etária", diz.

Marco explica ainda que não foi feita nenhuma promessa sobre 400 vacinas, mas diz que a quantidade que acabou chegando não é a ideal.

"A gente trabalha da seguinte forma: segue meu raciocínio, nascem no Guarujá, mais ou menos, de dez a 15 crianças por dia, algo entre 300 e 450 crianças por mês. Todas estas crianças, se não tiverem nenhum problema diverso, chegarão aos seis meses de vida, então eu preciso vacinar essa quantitativa de crianças e então, obviamente, o Estado tem esse controle porque ele controla a natalidade, sabe o numero de crianças que nasce, então, obviamente, quando a criança chega aos seis meses, ela precisa ser vacinada. Algumas crianças eu sei que já conseguiram tomar a vacina, mas não acredito que amanhã eu vou ter essa quantidade para atender toda a demanda", explica.

Ele segue dizendo que não tem ideia de quando mais vacinas deverão ser enviadas para o município, mas explica que, atualmente, Guarujá já possui doses de vacina o suficiente para suprir a demanda de crianças que possuem entre nove meses e cinco anos.

"Não nos enviaram nenhuma dose de vacina para esta faixa etária, mas já sabemos que o que temos em estoque é o suficiente para atender nossas necessidades. O problema mesmo é, no caso, os bebês".

As cidades da Baixada Santista receberam doses da vacina durante esta semana. Marco afirma que existe uma possibilidade de que outras cidades também tenham recebido menos doses do que são necessárias.

Em nota, as prefeituras de Santos, Bertioga, Itanhaém, Peruíbe, São Vicente e Cubatão afirmam que têm doses de vacina o suficiente para o Dia 'D'. Em contrapartida, Praia Grande afirma que estão em falta pentavalente, meningite e DTP. A cidade possui doses para sarampo, mas está com o estoque baixo e aguarda uma nova remessa que chegará antes de sábado. Mongaguá também diz que está com o estoque baixo, mas manterá a programação do Dia 'D' como já havia anunciado.

Em contato por telefone, o Governo do Estado afirmou que uma nova remessa deverá ser enviada para a Baixada Santista ainda nesta sexta-feira (18) e uma logística deverá ser feita para que as cidades com baixo estoque recebam as doses, mas ainda não há informações precisas sobre quais municípios serão contemplados com mais vacinas.

Bebês

Neste sábado, pais ou responsáveis por crianças de 6 a 9 meses terão nove unidades à disposição no horário das 8 às 17 horas. São elas: UBS Vila Alice, UBS Vila Baiana, UBS Pae Cará, UBS Vila Edna, Usafa Santa Rosa, Usafa Jardim dos Pássaros, Usafa Jardim Brasil, Usafa Perequê e Usafa Santa Cruz dos Navegantes.

"A gente não podia aplicar vacinas em bebês de seis meses, a vacina era sempre a partir de nove meses, e no calendário nacional está decretado que uma dose deve ser aplicada com 12 meses de idade e a segunda dose com 15 meses. Inicialmente, seria apenas isso, mas com todo o acontecimento do surto de sarampo, o Ministério da Saúde apontou que faria também para crianças com seis meses, mas não poderíamos usar a mesma vacina de antes, porque ela não é compatível com bebês desta idade, então foi comprada uma outra dose de um outro laboratório e nos enviou, só que essa dose não é suficiente e não posso aplicar nos bebês de seis meses a outra. A própria bula já traz a contra indicação por causa da idade", conclui Marco.